A pior largada

A pior largada

Três jogos, três derrotas, apenas um gol marcado. O Paraná chegou a essa marca ao perder mais uma partida no Brasileirão, no último domingo (29). Desta vez, levou 2 a 1 do Sport, em plena Vila Capanema, pela 3ª rodada. O time paranaense completa, assim, seu pior início de Brasileirão na história. Nunca antes a equipe havia perdido as três primeiras partidas na primeira divisão nacional.

No Brasileirão deste ano, o Paraná havia perdido as duas partidas anteriores, para São Paulo (1 a 0, fora de casa) e Corinthians (4 a 0, na Vila).

Até então, o pior início de Brasileirão havia sido em 1994: um ponto em três jogos. Em 1998, o Paraná havia perdido as duas primeiras partidas, mas aliviou a barra ao vencer o América-RN por 3 a 2, na 3ª rodada.

Com a derrota para o Sport, o time da Vila Capanema manteve a última posição no Brasileirão, ainda sem nenhum ponto.

TABELA

O Paraná volta a campo no dia 7 de maio, uma segunda-feira. Enfrenta a Chapecoense, em Chapecó, pela 4ª rodada do Brasileirão.

ESCALAÇÃO

Apesar de declarar que não é adepto de mudanças radicais, o técnico Rogério Micale mexeu em duas posições até certo ponto surpreendentes. No gol, sem poder contar com Richard, promoveu a estreia do recém-contratado David Rambo – em detrimento de Luiz Carlos, que substituiu Richard contra o Corinthians. Na defesa, sacou o lateral Mansur, colocou o zagueiro Rayan na posição e escalou Cléber Reis na zaga. O time ficou num 4-2-3-1. O Sport tinha a estreia do técnico Claudinei Oliveira, contratado depois que Nelsinho Baptista havia pedido demissão.

PRIMEIRO TEMPO

Curiosamente, a defesa pifou logo no começo de jogo. Rayan cedeu um escanteio desnecessário e, na cobrança, o Sport fez 1 a 0. Houve desatenção geral da retaguarda no lance. Rogério, autor do gol, estava totalmente livre.

Depois do gol, Paraná tentou se impor. Tocou a bola, arriscou jogadas pelas pontas, cruzamentos à área, tabelas pelo meio, chutes de fora da área. Até conseguiu recuperar um bom número de bolas no de ataque. Mas o Sport, bem fechado, conseguiu se segurar. Para piorar, as finalizações do time da casa, embora numerosas (11, sendo 8 certas), não levaram grande perigo. Na jogada mais perigosa, aos 27 minutos, Silvinho chutou e o goleiro abafou; na sobra, Carlos finalizou em cima do goleiro, que estava caído.

SEGUNDO TEMPO

Para o intervalo, Micale trocou Rayan por Baez na lateral-esquerda. No meio-campo, o volante Wesley Dias deu lugar a Matheus Pereira, um meia mais avançado. O time nem se aclimatou direito ao ritmo do jogo e já levou outro gol, de Marlone, em cobrança de falta. Para piorar, aos 15 minutos Raphael Alemão sentiu uma lesão muscular na coxa esquerda e deu lugar a Luan Viana, um centroavante (que também estreava no time). Carlos passou a ocupar o lado direito do ataque.

Com dois gols de desvantagem, o Paraná tentou diminuir o prejuízo, mas novamente não conseguiu superar a defesa do Sport, que a essa altura só pensava em contra-ataques. Apesar do esforço e da tentativa de variar o repertório de jogadas, o time da casa conseguiu marcar apenas um gol, com Jhonny Lucas, aos 44 minutos. Foi pouco para evitar mais uma derrota.

ESTATÍSTICAS

Ao fim de 90 minutos, o Paraná somou 24 finalizações (13 certas), 70% de posse de bola e 86% de passes certos. O Sport teve 10 finalizações (4 certas), 30% de posse de bola e 63% de passes certos. Os porcentuais são do site Whoscored.

 

PARANÁ 1 x 2 SPORT

Paraná: David Rambo; Alemão, Jesiel, Cléber Reis e Rayan; Jhonny Lucas, Wesley Dias, Raphael Alemão, Caio Henrique e Silvinho; Carlos. Técnico: Rogério Micale

Sport: Maílson; Raul Prata, Ronaldo Alves, Ernando e Sander; Anselmo, Fellipe Bastos, Andrigo, Neto Moura e Marlone; Rogério. Técnico: Claudinei Oliveira

Gols: Rogério (8-1º), Marlone (4-2º), jhonny Lucas (44-2º)

Cartões amarelos: Jesiel, Ferreira

Público: 8.490 (total)

Árbitro: Daniel Nobre Rios (RS)

Local: Vila Capanema, domingo

Related Posts

Facebook Comments