Depois de quatro Copas, oito etapas e 16 corridas realizadas entre março e outubro, a Copa Truck chega a Interlagos para definir o título da temporada 2019 em duas corridas que formam a Grande Final que acontece neste fim de semana, ao lado do Mercedes-Benz Challenge e da Copa HB20, com o grid recorde de 26 caminhões.

Desses 26, seis se classificaram para brigar pelo título durante a temporada regular, terminando entre os três primeiros em pelo menos uma das quatro Copas classificatórias: Beto Monteiro (142 pontos), André Marques (128), Felipe Giaffone (118), Paulo Salustiano (112), Roberval Andrade (110 e Leandro Totti (110). Os outros vinte disputam a prova normalmente, mas partindo de zero pontos.

Líder do Ranking, Beto Monteiro é o nome a ser batido na Copa Truck em 2019. Isso a partir do momento em que ele sentou pela primeira vez no cockpit do Volkswagen Constellation da equipe RM Motors, após duas temporadas na Iveco que renderam uma Copa em 2017.Foram raras as etapas em que Beto Monteiro não foi protagonista e não brigou por vitórias – ele não ganhou corridas apenas no Velopark – em contrapartida, foi ao pódio em todas as etapas da temporada, acumulando o incrível número de 11 pódios em 16 corridas disputadas.

Eu tenho pensado e falado com a equipe de não encararmos como uma decisão, mas de encarar essa como uma etapa igual a qualquer uma  outra do campeonato, como fizemos bem durante toda essa temporada. Pensar em título, só na segunda corrida. Seria a finalização de um ano perfeito. Mas, até lá, pretendo encarar como uma etapa normal, um pé por vez.”

Em uma temporada de altos e baixos para a equipe AM Motorsport, o vice-líder do ranking, André Marques, em seu Mercedes-Benz Actros #77, voltou a se apoiar na regularidade para conseguir a classificação logo na primeira Copa e ser campeão da segunda com direito a uma vitória.Apesar de não ter figurado mais de uma vez no alto do pódio (o fez quando era extremamente necessário para sua classificação à Grande Final), Marques sabe que regularidade não conta na decisão de Interlagos, mas, por outro lado, terá o apoio valioso de Wellington Cirino e Débora Rodrigues.

“Para mim este ano é um ano que chego com mais experiência e menos pressão. No ano passado, chegamos liderando e tivemos uma quebra rara que nos tirou o título. Neste ano vou com menos peso e mais experiência e cacho que tudo vai dar certo. Só que não tem mais essa de regularidade, é pé embaixo até a bandeirada. Somos um time e o coração vai estar apertado por três. Claro que o Cirino e a Débora vão me ajudar e eu faria o mesmo para eles. Na nossa equipe, a regra é sempre ajudar quem tem mais condições no fim do ano, independente de eu ser o dono da equipe ou não.”

Terceiro na tabela de pontos da Grande Final, Felipe Giaffone encara a decisão com sobriedade. Vindo de um ano de desenvolvimento tanto do seu caminhão Iveco quanto da equipe Usual Racing, o piloto e comentarista de televisão afirma que ficar entre os três primeiros seria um belo presente pelo campeonato, mas que o título será bem difícil de tirar das mãos de Monteiro.

“A gente começou com uma pole que no fim das contas foi ruim e não verdadeiro, mas está sendo um ano duro, mesmo na final. O caminhão é muito competitivo, mas a equipe ainda é nova, que está começando na categoria. Tivemos alguns problemas mas estou feliz com a final. O objetivo final, levando em conta o começo do ano, estar entre os seis primeiros é ótimo. É um caminhão resistente, que está chegando ao final das corridas, então estar entre os três seria ótimo. É muito difícil tirar esse título do Beto, para falar bem a verdade. Seria até injusto ele não ser campeão depois de um ano daquele”.

Único piloto a fazer frente a Beto Monteiro em termos de vitórias e desempenhos é Paulo Salustiano, seu companheiro de equipe na RM Motors. O piloto do caminhão #55, modelo que ele vem desenvolvendo desde o começo do ano, Salu teve quatro vitórias e dez pódios, mas só garantiu a vaga na última Copa após problemas terminais que o tiraram vitórias e vagas.

“Foram quatro vitórias, mas poderiam ter sido mais. Infelizmente tivemos um probleminha no meio do caminho, mas a classificação veio aos 48 do segundo e com ouro. Um ano espetacular e agora vamos para cima em busca desse título. Estou preparado psicologicamente, o Beto é um grande piloto e não vou torcer pelo mal dele, apenas vou fazer minha parte. Meu chefe de equipe Renato Martins me liberou para lutar pelas vitórias então vou atrás do objetivo que é essa dobradinha para a Volkswagen, sendo campeão ou vice.”

Lutando pelo bicampeonato, Roberval Andrade conta com um ótimo retrospecto na briga com Beto Monteiro: Interlagos é um dos lugares onde ele mais venceu na carreira e vem de duas vitórias dominantes no ano passado, quando corria de Scania. Nesta temporada, com o Mercedes-Benz Actros #1, considerado o melhor que já pilotou, Roberval não dá o campeonato como perdido.

“Ah, estou bastante esperançoso. O acerto que tenho para Interlagos de Scania é bom e o Mercedes que estou competindo neste ano é o mais bonito e desenvolvido que já pilotei; creio que seremos uma força consistente e positiva quando aplicar o acerto e for para a pista. Vou atrás da minha décima vitória em Interlagos e meu bicampeonato. A diferença de pontos para o Beto me inspira, pois já tive momentos onde estava mais difícil ainda e virei. Eu não desisto nunca e não vai ser assim agora.”

Por fim, Leandro Totti é o que vem em situação mais curiosa para a Grande Final. Depois de disputar três Copas com a equipe PP Motorsport, Totti trocou de time e passou a guiar um Mercedes-Benz da equipe JL, que voltou a competir após um tempo parado. Por sorte, o desempenho apresentado no Velopark foi animador, o que deixa o “Marvado” confiante, mesmo correndo por fora.

“A gente sabe que tem diferença com o caminhão vindo de um tempo parado, mas o Velopark nos animou por termos brigado pela vitória na corrida 2. A equipe e eu estamos nos preparando para chegar a Interlagos brigando pelas vitórias e, consequentemente, disputar o título até o fim.”

As duas corridas da Copa Truck serão disputadas no domingo (8) a partir das 14 horas com transmissão ao vivo do SporTV3. No sábado, às 13h30, acontece a tomada de tempos com exibição ao vivo das redes sociais da categoria (Facebook e Youtube, ambos @copatruck). Confira abaixo os principais números de 2019 e a programação completa:

Ranking da Grande Final

Beto Monteiro, 142 pontos
André Marques, 128
Felipe Giaffone, 118
Paulo Salustiano, 112
Roberval Andrade, 110
Leandro Totti, 110

Resultados das Copas

Copa 1: Monteiro, Giaffone, Marques
Copa 2: Marques, Roberval, Monteiro
Copa 3: Monteiro, Totti, Giaffone
Copa 4: Salustiano, Monteiro, Marques

Poles em 2019

Goiania: Giaffone
Campo Grande: Cirino
Londrina: Monteiro
Curvelo: Cirino
Santa Cruz do Sul: Monteiro
Rivera: Monteiro
Cascavel: Marques
Velopark: Monteiro

Resultados de 2019

Copa 1
Goiânia 1: Monteiro, Totti, Marques
Goiânia 2: Monteiro, Giaffone, Zapelini, Marques, Debora
Campo Grande 1: Monteiro, Salustiano, Cirino
Campo Grande 2: Salustiano, Monteiro, Debora, Giaffone, Marques

Copa 2
Londrina 1: Monteiro, Roberval, Salustiano
Londrina 2: Martins, Marques, Roberval, Jardim, Zapelini
Curvelo 1: Salustiano, Cirino, Roberval
Curvelo 2: Marques, Boessio, Pedro Paulo, Zapelini, Zini

Copa 3
Santa Cruz do Sul 1: Monteiro, Totti, Salustiano
Santa Cruz do Sul 2: Salustiano, Giaffone, Marques, Cirino, Totti
Rivera 1: Monteiro, Roberval, Cirino
Rivera 2: Monteiro, Roberval, Totti

Copa 4
Cascavel 1: Monteiro, Salustiano, Marques
Cascavel 2: Salustiano, Monteiro, Debora, Giaffone, Marques
Velopark 1: Roberval, Monteiro, Salustiano
Velopark 2: Cirino, Salustiano, Roberval, Totti, Marques

Related Posts

Facebook Comments