Kart: mãe vira piloto para acompanhar filho

Kart: mãe vira piloto para acompanhar filho

 A máxima “não basta ser mãe, tem que participar” é levada muito a sério por Iana Ibiapina. Fã incondicional do filho Alfredinho Ibiapina (Orcali), piloto de kart com 12 anos, Iana também é apaixonada pelo esporte a motor. Neste momento, em que as competições estão paralisadas em virtude da pandemia do Covid 19, a integrante da equipe A8 Racing colocou em prática a ideia de treinar junto com o filhão, e assim, poder acompanhar de perto tudo o que acontece com ele.

“Adoro dirigir, pilotar, barulho de motor e, principalmente, gosto de acelerar! Como não estamos trabalhando duro em cima do Alfredinho por conta do adiamento das competições, vi a oportunidade de ir para a pista e entender melhor como é a responsabilidade de conduzir um kart. É tenso, mas estou adorando. Os kartódromos estão limitando o número de pessoas por equipe, assim, uni o útil ao muito agradável. Aprendo a pilotar kart e acompanho os treinos dele”, comentou Iana Ibiapina.

Alfredinho super apoiou a vontade da mãe. “O meu pai foi piloto e ter a minha mãe treinando é muito legal. Agora é a minha vez de gesticular como um louco do lado de fora, fazer as cobranças, “puxar a orelha”, porque ela precisa pisar fundo dentro da pista, mesmo no treino. É assim que ela vai aprender. Esta experiência nos aproximou muito mais, e acho que agora vou acabar me cobrando ainda mais durante as corridas”, contou o piloto curitibano da categoria Júnior Menor, que participa também de campeonatos virtuais enquanto aguarda a liberação das competições de kart.

Related Posts

Facebook Comments