oi sofrido, com uma dose extra de emoção e o Atlético está classificado para a terceira fase da Copa do Brasil. Em um duelo com muitas viradas, o Furacão, apesar dos erros defensivos, venceu o Tubarão por 5×4, na noite desta quarta-feira (21), na Arena da Baixada, e garantiu presença na próxima etapa da competição nacional. O time principal rubro-negro encara agora o Ceará, com o primeiro jogo semana que vem no Joaquim Américo.

A evolução prometida pelo técnico Fernando Diniz nessas três semanas sem jogos do time principal do Atlético já foi vista desde os primeiros minutos. Ofensivo, marcando o Tubarão sob pressão e com toques rápidos, o Furacão encurralou o adversário. Aos 5 minutos, Guilherme arriscou de fora da área e o goleiro Junior Belliato fez grande defesa.

O Tubarão, com a proposta clara de apenas se defender e buscar os contra-ataques, poderia ter marcado um minuto mais tarde. Depois do cruzamento, a defesa do Atlético falhou, mas Guilherme Amorim, livre, errou o chute. O Furacão, então, seguiu pressionando e o primeiro gol parecia ser questão de tempo. Aos 8, depois do cruzamento de Guilherme, Jonathan recebeu livre na pequena área, mas foi travado na hora do chute.

Depois da pressão inicial, o Atlético perdeu um pouco da intensidade, mas seguiu com o domínio da partida. No entanto, o Tubarão conseguiu acertar um pouco a sua marcação e dificultou as jogadas pelo meio do time rubro-negro. Restou ao Furacão apostar nas jogadas  aéreas. Aos 26, Jonathan tabelou com Guilherme, cruzou, mas Ribamar errou a cabeçada.

O Atlético seguiu pressionando. Jogando praticamente todo no ataque, o Furacão passou a perder seguidas chances de marcar. Aos 30, Carleto cruzou e Rossetto, livre na pequena área, cabeceou para fora. Já nos minutos finais, o time atleticano teve a grande chance de abrir o placar. Nikão cruzou e Guilherme, sem marcação na área, chutou no meio e o goleiro Junior Belliato fez boa defesa e garantiu o empate na etapa inicial.

Pouco eficiente no primeiro tempo e alvo de críticas da torcida, Ribamar deixou o time no intervalo e deu lugar a Bergson. A alteração surtiu o efeito esperado e o Atlético abriu o placar aos 6 minutos. Guilherme serviu Rossetto, que cruzou para Bergson, com oportunismo, marcar.

O Tubarão, então, abandonou a defesa, saiu mais para o jogo e conseguiu o empate aos 10 minutos. Depois da cobrança de falta, a defesa atleticana parou e Matheus Barbosa marcou de cabeça. O Atlético parece ter acusado o golpe. O time catarinense aproveitou para virar o jogo, em outra falha da defesa do Furacão. Aos 18, Jean cruzou e Batista, livre, cabeceou fora do alcance do goleiro Santos.

Com Lucho González no lugar do zagueiro Wanderson, o Atlético foi para o tudo ou nada. Aos 22, o Furacão reclamou de uma penalidade não marcada depois que a bola bateu no braço do zagueiro Jaílton. O Tubarão, com o contra-ataque armado, quase ampliou aos 23 minutos. Batista arrancou do meio de campo, saiu na cara do gol e o goleiro Santos evitou o terceiro gol.

O castigo para os visitantes veio um minuto mais tarde. Bergson arriscou de fora da área, o goleiro Junior Belliato falhou e Rossetto marcou no rebote. A partida, então, ficou aberta, sempre com o Atlético pressionando e buscando mais o gol. A virada do Furacão não demorou para sair. Aos 31 minutos, Guilherme Amorim cometeu pênalti em Guilherme. O próprio armador atleticano bateu e converteu: 3×2.

Quando o torcedor atleticano, enfim, parecia que ia respirar mais aliviado, a zaga do Atlético falhou novamente na bola aérea. Aos 33 minutos, depois da cobrança de escanteio, Lucas Costa ganhou da defesa rubro-negra e mandou novamente sem chances para o goleiro Santos. O Furacão não se abateu e seguiu em busca da vitória e da classificação. Aos 36, Bergson recebeu na área, bateu cruzado e mandou para fora.

O jogo seguiu aberto. O Atlético, até de certa forma desorganizada, foi com tudo para cima do Tubarão. Mas o time catarinense deu o bote certo e conseguiu uma nova virada aos 39 minutos. David Batista ganhou de Thiago Heleno, deixou o defensor no chão, tocou para Romarinho, que deixou Daniel Costa livre para fazer o quarto gol dos visitantes.

O Atlético não desistiu. O jogo passou a ser de ataque contra defesa. A insistência do Furacão deu resultado aos 45 minutos. Nikão cruzou da entrada da área e Thiago Heleno, de cabeça, se redimiu e empatou novamente a partida. O melhor estava guardado para o final. O meia Felipe Gedoz, que havia acabado de entrar, acertou um belo chute da entrada da área, aos 47 minutos, garantiu a vitória e a classificação do Rubro-Negro para a terceira fase da Copa do Brasil.

 

Related Posts

Facebook Comments