Paranaense2020: Agenor chega falando em classificação

Paranaense2020: Agenor chega falando em classificação

O União apresentou ontem à tarde, no Estádio Anilado, o técnico Agenor Piccinin, que assume o comando do time após a saída de Raphael Bahia, segunda-feira, 10. Em entrevista coletiva para a imprensa, o treinador projetou a campanha que o clube precisa fazer para evitar o rebaixamento e, de quebra, conquistar a vaga nas quartas de final do Campeonato Paranaense.


Agenor tem 64 anos e possui um histórico de acessos e fugas de descensos. Em 2019, ele conduziu o Arapongas à vaga para a Segunda Divisão do Paranaense. No início do ano, já havia conquistado o primeiro turno e o vice-campeonato estadual com o Toledo. O convite para assumir o time beltronense em uma situação de risco partiu do diretor de futebol, Ivair Cenci.

“O União está numa situação não confortável, mas com dois resultados pode estar em uma situação boa. Então, o primeiro pensamento é sair dessa situação, segundo classificar e, sem dúvida, vamos pensar em título”, disse Agenor, em entrevista coletiva.

Nas contas do treinador, nos cinco jogos que restam, o Azulão precisa chegar aos 11 pontos para escapar do rebaixamento e a 12 ou 13 para ter a vaga. “O União tem chances de duas vitórias que podem acontecer, são jogos em casa, e já eliminar a probabilidade, porque restam somente três jogos depois; 11 pontos está fora da Segunda Divisão e com 12 a 13 pontos fica entre os oito, isso é fundamental, tem que ter essas metas pra gente atingir rápido.”


A mesma projeção vale para o objetivo da classificação para a Série D. “São 15 pontos em disputa, a diversidade dos concorrentes não é favorável, mas eu penso que, se a gente conseguir emplacar com sete, nove pontos, tem condição.” O Paraná, 5º colocado no Ranking Nacional das Federações, tem direito a três vagas na Série D — lembrando que clubes como Coritiba, Athletico-PR, Paraná, Operário e Londrina estão em outras divisões.

Confiança e motivação
Depois da apresentação, Agenor teve uma primeira conversa com o elenco do União, já no Complexo Esportivo Arrudão. O treinador demonstrou estar seguro dos objetivos do clube e transmitiu confiança ao grupo, como ressaltou durante a entrevista: “Vamos trabalhar pra que o grupo se automotive e trabalhe com alegria! Futebol é alegria! Se não tiver alegria no coração, não vai atingir aquilo que você quer.

Transmitir a confiança da qualidade que eles têm, cada um resgatar o seu lado bom de atleta. A escolha do grupo foi feita em prol do atleta e do atleta pro clube, não foi uma casualidade. Tem uma característica que o clube escolheu e tem todas as condições pra colocar nesse atleta que tá meio apagado dentro deles. Vamos buscar confiança pra isso acontecer”.

Como enfrentar o Londrina?
A estreia de Agenor frente ao União será domingo, 16, diante do Londrina, às 16h, no Estádio Anilado. Por coincidência, o adversário é o mesmo de quando, em 2017, o técnico assumiu o Cascavel em situação parecida e evitou o rebaixamento.

“A gente conseguiu a vitória por 2 a 0. Tomara que isso se repita. O Londrina também vem de uma reformulação, pode gerar certa instabilidade. Os resultados também estão alternando, então, penso que a gente tem um jogo em casa, a torcida faz uma diferença muito grande nesse momento, porque você tem que buscar a tua determinação, tua força máxima. E nada melhor que uma força vinda da arquibancada, essa energia positiva, pra que todos consigam entrar em campo com esse espírito de luta. O torcedor é fundamental nesse próximo jogo.”

Fonte: JdeB

Related Posts

Facebook Comments