Na quarta colocação na classificação e sem vencer há dois jogos no Campeonato Paranaense, o Atlético pode, no duelo atrasado que fará hoje, às 19h30, na Arena da Baixada, contra o Foz do Iguaçu, voltar a brigar pela liderança. Muito mais do que chegar aos 14 pontos e ainda alimentar a esperança de terminar a primeira na ponta da tabela, o Furacão quer, sobretudo, espantar a irregularidade que norteia o clube neste início de temporada.

O técnico Cristóvão Borges, apesar da derrota para o Paraná, garantiu estar tranquilo e que uma possível pressão do torcedor na partida contra o Foz será normal. O treinador, no entanto, afirmou que procura não ler e ficar sabendo das opiniões de torcedores nas redes sociais, principalmente nesses momentos.

“Não acompanho e não leio isso não, mas sei como funciona. Convivo com isso e na minha função faz parte. É natural, time grande, de massa, tem que ganhar. Nós agora vivemos dessa maneira, até porque aqui temos ciência de tudo que estamos fazendo. No clássico a equipe teve erros, ainda que seja preocupante, mas foi uma partida equilibrada e o Paraná aproveitou seu melhor momento no jogo. Mas a pressão é normal e o mais importante é você ter convicção naquilo que você está fazendo”, cravou o comandante atleticano.

Desfalques

Para o duelo contra o time da fronteira, dentro de casa, o treinador terá dois desfalques importantes. Dono da meta que menos sofreu gol até agora no Paranaense, o goleiro Weverton, expulso diante do Paraná, está fora. Santos, quase oito meses depois do seu último jogo oficial, vai assumir a meta.

O arqueiro espera ter uma grande apresentação no seu primeiro jogo como titular na Arena da Baixada e foca na vitória. “Acho importante nossa equipe voltar a vencer no Paranaense para que possamos ter certa traquilidade também para brigar lá em cima, pela liderança. É uma sequência pesada de jogos e estamos preparados e concentrados para isso”, apontou Santos.

A outra baixa será o meia Vinicius, que a exemplo de Weverton, também foi expulso na confusão após o clássico. Com isso, Cristóvão tem algumas opções para o setor de criação. A principal opção é o meia Nikão, que se recuperou de lesão e já participou dos dois últimos jogos. Também disputam a posição Marcos Guilherme, Sidcley, Bruno Motta e Fernando Barrientos.

Ataque

Na frente, a tendência é de que o trio ofensivo seja formado mais uma vez por Anderson Lopes, Walter e Crysan. Entretanto, André Lima, que entrou bem no clássico, pode ganhar uma oportunidade. “A possibilidade dos dois jogarem existe. Não é incompatível, mas a gente tem que ver o momento. Estamos trabalhando”, concluiu o técnico.

Fonte: ParanaOnline

Related Posts

Facebook Comments