Ressuscitando o lanterna

Na inauguração do segundo turno do Campeonato Brasileiro, o Coritiba repetiu erros e acabou “ressuscitando” o lanterna Atlético-GO. O que se viu na partida, disputada na tarde deste sábado, no Estádio Olímpico, foram dois times limitados, com quase nenhuma criatividade. Não à toa o gol da partida, que saiu aos 17 minutos do segundo tempo, surgiu numa jogada cada vez mais comum no futebol tupiniquim: cobrança de lateral direto para a área, que resultou no gol de Jorginho que decidiu a partida.

Com a derrota fora de casa, o time do Alto da Glória estaciona nos 25 pontos e permanece na 10ª colocação. Dependendo dos outros resultados da rodada, contudo, poderá cair para o 15º lugar. Já o Dragão vence sua quarta partida em 20 jogos no Brasileirão e chega aos 15 pontos, permanecenco na lanterna, mas reduzindo para sete pontos a diferença em relação à Chapecoense, 16º colocado.

Coxa repetido, Dragão alterado

Na tentativa de engatar a “terceira marcha”, o técnico Marcelo Oliveira repetiu a escalação vitoriosa na partida contra a Chapecoense, com Carleto, lateral de origem, mantido na ponta.Entre os jogadores fora de combate não houve nenhuma novidade. O atacante Kleber cumpre suspensão imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Anderson, Daniel, Werley, Getterson, Geovani e Thalisson Kelven estão machucados.

Já no Dragão, o técnico João Paulo Sanches montou o time com quatro alterações. O lateral-direito Jonathan, por opção técnica, assumiu a vaga de André Castro. Na zaga, William Alves fez sua estreia no lugar de Roger Carvalho, que rompeu o tendão de Aquiles e só deve voltar a jogar em 2018. Igor retornou de suspensão no lugar de Silva e Diego Rosa substituiu Andrigo, suspenso pelo 3º cartão amarelo.

Primeiro tempo

Durante a semana, o técnico Marcelo Oliveira já havia atentado para a necessidade de o Coritiba melhorar sua produção ofensiva. Se defensivamente a equipe vinha mostrando solidez, na hora de produzir jogadas vinha deixando a desejar. “Está muito bom, muito intenso na marcação, a doação é grande. Falta um capricho melhor na parte técnica para chegar com mais naturalidade no gol”, afirmou o treinador na sexta-feira.

Como teve a semana inteira para trabalhar com os jogadores antes do duelo contra o Dragão, a expectativa era de se ver em Goiânia um Coxa mais criativo, perigoso. Expectativa esta, contudo, que não se confirmou. Com a bola rolando, o que se viu foram dois times tecnicamente limitados, um verdadeiro deserto de ideias.

De um lado, o lanterna do Brasileirão tentava pressionar e buscava mais o ataque, até pelo fato de jogar em casa. Tal ímpeto, contudo, esbarrava na baixa qualidade técnica dos jogadores. Do outro lado, os visitantes marcavam firme, davam poucos espaços, mas não tinha velocidade para o contra-ataque.

Segundo tempo

A etapa final começou com o Coritiba esboçando levar mais perigo ao adversário, com um bom chute de Alan Santos de fora da área. Mas ficou só na impressão, porque logo a partida voltou ao “normal”. Melhor para o Atlético-GO, que num lance cada vez mais comum no futebol brasileiro, com a jogada criada a partir de uma cobrança de lateral, conseguiu abrir o placar com Jorginho, aos 17 minutos.

Precisando correr atrás do prejuízo, Marcelo Oliveira tentou lançar a equipe ao ataque sacando o volante Alan Santos para a entrada do atacante Henrique Almeida, aos 21. Seis minutos antes, Neto Berola havia substituído Carleto, enquanto Tomas Bastos entrou na vaga de Alecsandro já na reta final da partida, aos 33 minutos.

As alterações, contudo, não surtiram efeito. Assim, os erros persistiram e o placar permaneceu inalterado, para alegria da torcida goiana, que vê o Dragão ganhar um fôlego a mais na difícil luta contra a degola.

Números do jogo

O Coritiba teve 9 finalizações (3 certas), 47% de posse de bola, 3 escanteios e 87% de precisão nos passes. O Dragão somou 9 finalizações (2 certas), 6 escanteios e 89% nos passes. Os dados são do Footstats.

ATLÉTICO-GO 1 x 0 CORITIBA

Atlético-GO: Felipe; Jonathan (André Castro), Gilvan, William Alves e Bruno Pacheco; Igor, Paulinho, Diego Rosa (Breno Lopes), Jorginho e Niltinho (Silva); Walter. Técnico: João Paulo Sanches
Coritiba: Wílson; Léo, Márcio, Luizão e William Matheus; Jonas, Alan Santos (Henrique Almeida), Galdezani, Carleto (Neto Berola) e Rildo; Alecsandro (Tomas Bastos). Técnico: Marcelo Oliveira
Gols: Jorginho (17-2º)
Cartões amarelos: Niltinho, Walter (A); Alecsandro, Luizão e Rldo (C)
Árbitro: Grazzianni Maciel Rocha (RJ)
Local: Estádio Olímpico, em Goiânia, Sábado, às 16 horas

About the Author

Osires Nadal Júnior

Locução em autódromo, estádio, rádio, tv, palestra, cerimonial, formatura. Pauteiro, reporter, produtor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *