Tem gente chegando

Depois do não de Ronaldinho Gaúcho, o Coritiba aposta em outro jogador formado no Grêmio para ser sua grande estrela para a temporada 2017.

O meia Anderson – revelado nas categorias de base do Tricolor, mas jogador do rival Internacional desde 2015 – chega nesta quarta-feira (22) a Curitiba para acertar os últimos detalhes de seu contrato de empréstimo com o Coxa. O atleta tinha um acordo verbal com o Alviverde há algumas semanas e aguardava a resolução de pendências financeiras com o Colorado para mudar de ares.

“Depende do acerto conosco. Ele chega amanhã [quarta-feira]. Estamos muito empolgados. É um jogador de 28 anos, com quatro anos de Manchester United. Não desaprendeu a jogar bola”, disse o diretor institucional do Coritiba, Ernesto Pedroso.

Segundo o dirigente, Anderson deve fazer exames médicos e assinar contrato ainda nesta quarta. “Ele se mostrou muito interessado em vir. Como é cria do Grêmio, a torcida do Inter não deixava ele em paz. Mas tem muita qualidade técnica”, fala Pedroso.

A carreira de Anderson foi meteórica. Defendeu o Grêmio profissionalmente entre 2004 e 2006, e marcou um gol histórico na Batalha dos Aflitos, contra o Náutico, em 2005. A vitória por 1 a 0 valeu o acesso gremista à elite.

Antes de virar herói para os gremistas, no entanto, o meia já estava vendido para o Porto, de Portugal, que pagou 5 milhões de euros em um jovem então com 18 anos. Pouco depois, em julho de 2007, o Manchester United comprou o gaúcho por um valor cinco vezes maior: 25 milhões de euros.

Foram seis temporadas na Inglaterra, quatro títulos da Premier League, uma Liga dos Campeões e um Mundial de Clubes. Treinado pelo lendário treinador escocês Alex Ferguson no Unted, o jogador aprendeu a atuar como segundo volante, posição onde se destacou.

Na temporada 2013-2014, Anderson foi emprestado a Fiorentina, onde fez apenas sete partidas. Depois, retornou a Porto Alegre, mas para defender o Inter. No Beira-Rio, porém, foi inconstante e não alcançou o sucesso esperado pela diretoria.

Em 2015, fez um gol e deu cinco assistências em 45 jogos. Melhorou no ano passado, quando marcou cinco vezes e deu sete passes para gol em 43 partidas. Acabou marcado, porém, pelo rebaixamento do Colorado à Série B.

“A volta dele foi muito difícil, não deu certo no rival. É a mesma coisa que botar o Alex para jogar no Atlético. Ou pegar o goleiro deles [Weverton] e colocar no Coxa. No primeiro frango, está morto”, compara Pedroso.

About the Author

Osires Nadal Júnior

Locução em autódromo, estádio, rádio, tv, palestra, cerimonial, formatura. Pauteiro, reporter, produtor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *