Tricolor perde para o BOA

ma noite muito estranha em Varginha. Nada de ETs ou coisas parecidas, mas uma derrota numa partida em que o Paraná Clube tinha que vencer. Enfrentando um adversário muito inferior, acabou perdendo neste sábado (5) para o Boa Esporte por 2×1 no Dilzon Melo – resultado que deixou o Tricolor na nona colocação no Campeonato Brasileiro da Série B, a quatro pontos do G4. E o jogo teve de tudo, até uma jogada assustadora.

Confira como foi o jogo no Tempo Real da Tribuna!

O Paraná começou o jogo tentando apostar na velocidade. Mas foram os donos da casa que tiveram a primeira chance justamente no contra-ataque. Aos quatro minutos, Rodolfo chamou Cristovam para dançar e chutou forte, mas Richard defendeu. A diferença era de qualidade – o Tricolor era um time tecnicamente bem melhor, e aos poucos passou a controlar a partida.

Só que o calcanhar de Aquiles do Paraná Clube voltou a aparecer. Aos 20 minutos, quando os visitantes eram superiores e já tinham chegado com perigo duas vezes (com Renatinho e Cristovam), o Boa teve um escanteio. E bola parada na área tricolor é um desespero. Não deu outra – Douglas Assis subiu e abriu o placar para o time mineiro.

A partir daí, começou uma pressão paranista. Daniel fez sua primeira defesa difícil em uma cabeçada de Gabriel Dias. Mas um susto gigante interrompeu o jogo. Numa jogada dividida, Eduardo Brock acertou um chute no rosto de Igor, que caiu desacordado. Imediatamente foram chamados os paramédicos, e a decisão foi levá-lo para um hospital da região.

Só que nem tudo é tão simples. Primeiro os paramédicos demoraram muito para imobilizar o jogador, já com a consciência recobrada, e colocá-lo na ambulância – que chegou ao local onde o lateral paranista estava caído levantando um poeirão, pois há uma pista de terra em torno do gramado. Depois, quando o carro iria para o hospital, ele parou na frente do portão de saída do estádio Dilzon Melo – o portão estava fechado. E depois os médicos não conseguiam encontrar a veia de Igor para aplicar a medicação e o soro. Coisas inacreditáveis.

Após 43 minutos de interrupção, Igor já se recuperando no hospital municipal Bom Pastor, Rayan em campo em seu lugar e a ambulância sendo aplaudida de pé quando de seu retorno, enfim o jogo recomeçou. E a uruca estava à toda, porque logo o Boa perdeu dois jogadores machucados, o meia Thaciano e o atacante Casagrande. O jogo perdeu muito ritmo, por conta da longa parada, e tirando uma perigosa tentativa de Robson a partida se arrastou até o intervalo.

Os jogadores do Paraná se irritaram no primeiro tempo, e ainda mais na etapa final com a cera do Boa Esporte. “Toda hora cai alguém, toda hora desaparecem as bolas. É ridículo”, atirou Brock. Além disso, o time mineiro abusava das faltas, impedindo que o domínio tricolor tivesse sequência. Só que aí o ex-capitão paranista cometeu um pênalti incrível, metendo a mão na bola descaradamente. Reis cobrou, Richard defendeu e o próprio Reis pegou o rebote para ampliar.

O segundo gol adversário descontrolou os paranistas. Num lance em que Douglas Assis entrou com o cotovelo em Alemão, o atacante tricolor quase agrediu o zagueiro do Boa – os dois jogadores levaram o cartão amarelo. Já com Felipe Alves e Rafhael Lucas em campo, Lisca tentou no desespero buscar ao menos o empate. E aos 28 minutos, em boa jogada de Alemão e Robson, Rafhael Lucas marcou seu primeiro gol pelo Tricolor.

Era possível empatar. Mas o Paraná tinha muitas dificuldades para criar, não conseguindo passar pela retranca do Boa – mesmo estando com quatro atacantes em campo. Na melhor chance, Robson tirou do goleiro, mas Laércio tirou quando a bola estava entrando. E um jogo que poderia ser o da definitiva aproximação do G4, virou mais uma grande decepção.

Ficha técnica

SÉRIE B
1º Turno – 19ª Rodada

Boa Esporte 2×1 Paraná

Boa Esporte
Daniel; Ruan, Laércio, Douglas Assis e Paulinho; Escobar, Diones e Thaciano (Wesley); Rodolfo, Reis e Casagrande (Eduardinho).
Técnico: Nedo Xavier

Paraná Clube
Richard; Cristovam, Iago Maidana, Eduardo Brock e Igor (Rayan); Leandro Vilela, Gabriel Dias (Rafhael Lucas) e Renatinho; Felipe Augusto (Felipe Alves), Robson e Alemão.
Técnico: Lisca

Local: Dilzon Melo (Varginha-MG)
Árbitro: Alisson Sidnei Furtado (TO)
Assistentes: Cipriano da Silva Sousa (TO) e Samuel Smith Nobrega Silva (TO)
Gols: Douglas Assis 20 do 1º; Reis 15 e Rafhael Lucas 28 do 2º
Cartões amarelos: Escobar, Laércio, Douglas Assis, Daniel (BOA); Alemão (PR)
Renda e público: não divulgados

About the Author

Osires Nadal Júnior

Locução em autódromo, estádio, rádio, tv, palestra, cerimonial, formatura. Pauteiro, reporter, produtor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *