Um amistoso que vale muito

Melbourne (Especial  para Impacto/Pr) – Os selecionados do Brasil e da Argentina, jogam na manhã desta 6ª fera aqui em Melbourne, Austrália, um amistoso, que poderia ser, somente, mais um amistoso. Mas, na verdade, é um jogo que vale muito para os dois selecionados. E vejam que,  não vale simplesmente pela tradicional rivalidade, onde os brasileiros não gostam de perder para os platinos e, eles, muito menos, desejam ser derrotados pelos canarinhos. Aliás, dizem que o Brasil, pode perder para o mundo, menos para a Argentina.

Mas, o amistoso desta 6ª feira, tem dois extremos, bem diferenciados. Em uma ponta, está o Brasil, que vem de uma excelente campanha, sob comando de Agenor Bachi, o Tite, com nove vitórias, seguidas já classificado para o mundial da Rússia 2018 , com 33 pontos ganhos. Mesmo sem contar com sete titulares, uma defesa completa e, em Neymar Júnior, estrela máxima, o Brasil, precisa manter o clima vitorioso, que vai servir para o equilíbrio do grupo, objetivando as quatro próximas partidas que restam nas eliminatórias, além da manutenção da credibilidade perante a grande torcida brasileira. Por isso, ganhar dos “Los Hermanos”, tem muita importância para o Brasil.

Na outra extremidade, está a Argentina, vivendo um momento perigoso, nas eliminatórias, ocupando a 5ª posição, ameaçada de ter que disputar a última vaga sul americana, diante um selecionado da Oceania. Nada tem dado certo, a ponto da AFA Associação de Futebol Argentina, estar trocando de técnico a cada trimestre, diante os resultados desastrosos. Jorge Sampaoli, um chileno, passa a ser a esperança dos argentinos, assumindo o comando do time nacional. Jorge Sampaoli, estreia nesta partida, e como qualquer deseja fazê-lo de forma vitoriosa. Exigiu a presença de todos os titulares, incluindo Messi, para poder arrancar com vitória, frente do mais tradicional rival. Ganhar do Brasil, significa o renascer do futebol platino, a devolução da tranquilidade, do equilíbrio, que o selecionado perdeu, ao longo de seguidas derrotas.

Não será um jogo amistoso, na base do “leite de pato”. Haverá muito empenho, de ambos os lados, buscando o que mais interesse, a vitória.

O Brasil, vai jogar com: Weverton, Fagner, Thiago Silva, Gil e Filipe Luís. Fernandinho, Paulinho, Renato Augusto e Philippe Coutinho. William e Gabriel Jesus. Dentro do esquema  que Tite tem usado, o Brasil deve se valer do 4-1-4-1, com variações para 4-1-3-2.

A Argentina do estreante Jorge Sampaoli, vai de: Sergio Romero, Mercado, Mamana e Otamendi. Sálvio, Biglia, Banega e Di Maria. Messi e Dy Bala. Higuain. O esquema portenho, será na base do 3-4-2-1.

Posted in:
About the Author

Osires Nadal Júnior

Locução em autódromo, estádio, rádio, tv, palestra, cerimonial, formatura. Pauteiro, reporter, produtor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *