Depois da derrota por 3 a 0 para o Coritiba, os jogadores do Londrina ainda enfrentam dificuldades para assimilar o golpe. O zagueiro Luizão admitiu o desconforto de perder para um time que não vinha em boa fase no Campeonato Paranaense e havia sofrido para eliminar uma equipe inexpressiva (Parnahyba-PI) na Copa do Brasil.

“Não sei em relação aos meus companheiros, mas eu ainda não digeri. Era um confronto em que eu queria muito que a nossa equipe mudasse um pouco de atitude e fosse um pouco mais firme, mas aconteceu que nosso jogo não encaixou. Há dias em que as coisas não dão certo e esse jogo contra o Coritiba foi um desses jogos. Eu acho que demora um pouco para a gente digerir isso”, comentou.

Ele afirmou que, apesar do time ser novo, todos têm autocrítica e sua parcela de responsabilidade e precisam assumi-la nesse momento. “A gente não vê tanto pelo lado da derrota, mas pelo fato da gente ter jogado mal. Se a gente fosse derrotado jogando bem, beleza. A gente não estaria triste por isso. Mas a gente fica triste pelo Coritiba não ter nada demais e ter vencido a gente por 3 a 0. Esse é o sentimento mais ruim depois dessa derrota”, reclamou. “No meu caso, quando acontece esse tipo de situação, a gente procura forças onde não tem e procura se motivar ainda mais. Não dá para esquecer uma derrota assim fácil”, apontou.

O zagueiro acredita que o Londrina “subestimou o Coritiba”. “A gente achou que ia ganhar de qualquer jeito. O professor (Ricardinho) nos alertou sobre isso antes do jogo”, ressaltou o zagueiro. “Ele falou que a equipe deles estava mordida. Eu acho que a gente entrou um pouco abaixo do que deveria entrar. Cada um ali deveria ter entrado um pouco mais ligado, um pouco mais firme. Isso serve de aprendizado e temos que colocar nos próximos jogos. Não dá para bobear. A gente sabe a dificuldade que é o Campeonato Paranaense. Cada um precisa se ligar, assumir a responsabilidade e entrar em campo para dar o máximo”, disse Luizão.

O atacante Carlos Henrique destacou que o mais importante é que o grupo sentiu o baque da derrota. “Agora é retornar aos trabalhos e voltar ao que era antes para fazer um grande jogo contra o Cascavel. O grupo é bem maduro em relação a isso. Sabe que precisa voltar a vencer e a fazer grandes jogos. Dentro do possível e dentro do que o professor pedir, vai dar tudo certo na quarta-feira. Depende só da gente, de nosso esforço. Se conseguirmos a vitória, a gente consegue a vaga. O grupo está ciente disso. Estamos focados no Cascavel porque precisamos dos três pontos para conseguir a classificação”, afirmou.

O Londrina precisa de uma vitória simples na sexta e última rodada da Primeira Taça para conseguir a classificação para a semifinal. Caso empate ou perca, depende de derrota do Toledo e ao menos empates de Rio Branco e União para conseguir a vaga.

A equipe treina na manhã desta terça-feira (13), almoça e já embarca rumo a Cascavel, onde na quarta-feira enfrenta o time da casa no estádio Olímpico Regional. Com a expulsão de César na última partida, a possível escalação para o jogo contra o Cascavel deve ser Alan; Matheuzinho, Dirceu, Luizão e Felipe; Germano, Romulo e Rodrigo Figueiredo; Wesley, Miullen e Carlos Henrique.

Related Posts

Facebook Comments