O Paraná coloca à prova diante do Bahia, neste sábado (21), às 16h30, na Vila Capanema, pela segunda rodada da Série B , uma promessa feita pela diretoria e comissão técnica no início do ano: economizando no Estadual, o clube investiria em elenco com maior peso para a disputa nacional, principal objetivo de 2016.

Até o momento, entretanto, o Tricolor demonstra certa timidez no mercado. Nenhuma contratação de peso chegou, apesar do esforço em lapidar o plantel do início do ano. Saíram, em geral, peças de pouca utilização, para a chegada de jogadores para disputar a posição de titular.

Após a eliminação no Paranaense, foram sete dispensas: os laterais Nei, Dick, Elivelton e Elson, o volante Eliton, o meia Lucas Pará e o atacante Toni. O zagueiro Demerson também não ficou, após não ter o contrato renovado.

Do outro lado, foram sete contratações para a Segundona. Os zagueiros Pitty, João Paulo e Leandro Silva; o lateral-direito Diego Tavares; os meias Marcelinho e Murilo; e o atacante Robert desembarcaram na Vila Capanema.

Assim, se durante o Estadual o elenco enxuto foi um dos problemas enfrentados pelo técnico Claudinei Oliveira, o Paraná larga na Série B praticamente com o mesmo número de peças. A diferença é, em teoria, um aumento na qualidade do elenco. Postura ‘pés no chão’ que contrasta com os 29 atletas contratados na Série B do ano passado, quando o clube lutou até as últimas rodadas contra o rebaixamento para a Terceira Divisão.

“Disputamos o Estadual deste ano com chances de ser campeão. Isso provou que a diretoria está no caminho certo”, defende o lateral-esquerdo Fernandes, que volta ao time na vaga do suspenso Rafael Carioca. “Quem está chegando agora é para dar mais qualidade para o elenco, o que precisa, o campeonato é muito longo e a diretoria está fazendo a parte dela”, confia.

Um dos principais reforços paranistas para a Segundona, o veterano atacante Robert aposta que o elenco tricolor tem qualidade suficiente para brigar pelo acesso. “O Paraná tem uma grande equipe, não são essas últimas derrotas que vão nos abalar”, promete. “Tivemos uma conversa de que cada jogo será uma final para nós. Só assim vamos conseguir o acesso. O grupo está bastante confiante”, complementa o jogador, que briga com Lúcio Flávio pela titularidade no ataque.

O clima na Vila Capanema na véspera do jogo contra os baianos foi de cobrança. Uma longa reunião entre jogadores, comissão técnica e membros da diretoria precedeu o treinamento do time. “Aprendemos com essas derrotas. O time vai fazer um bom jogo”, assegura Robert.

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/05/20/Esportes/Imagens/Cortadas/paraná-kk5H-U202758571778vF-1024x1081@GP-Web.jpg

Related Posts

Facebook Comments