Chegaram ao fim as invencibilidades atleticana. Após seis meses sem perder na Arena da Baixada, três jogos invicto neste início de Campeonato Brasileiro e 11 partidas sem perder na temporada, o Atlético-PR sucumbiu diante da pressão do Palmeiras, que conseguiu anular o ‘estilo Fernando Diniz’ para alcançar uma importante vitória por 3 a 1 na tarde deste domingo (06 de maio) na Arena da Baixada, gols marcados por Bruno Henrique, Marcos Rocha e Willian. No finalzinho, Pablo ainda descontou.

Com o resultado, o Furacão (que não marca gols há três jogos) estaciona nos cinco pontos e cai para a oitava colocação, posição antes ocupada pelo Palmeiras, que com a vitória fora de casa saltou para a vice-liderança do campeonato, com oito pontos. A equipe comandada por Roger Machado, inclusive, é o visitante mais indigesto de 2018: só perdeu uma vez fora de casa na temporada, para o Corinthians, por 2 a 0. Desde então, foram oito vitórias e um empate longe de seus domínios.

Agora, o time paranaense se prepara para voltar a campo na próxima quinta-feira (10 de maio), quando encara o Newell’s Old Boys (Argentina) no estádio El Coloso Del Parque, pela Copa Sul-Americana. Na partida de ida, triunfo atleticano por 3 a 0. Já no próximo domingo, a equipe volta a jogar em casa pelo Brasileirão, medindo forças com o Atlético-MG.

Escalações

O Furacão entrou em campo com duas mudanças, com Paulo André (lesão nas costas) substituído por Thiago Heleno (Zé Ivaldo e Pavez também foram mantidos na zaga) e Bruno Guimarães preterido por Matheus Rossetto no meio de campo.

No Palmeiras, Roger Machado também promoveu duas alterações, com o meio-campista Moisés (que precisou deixar o campo aos 7 minutos por conta de uma lesão muscular) no lugar de Lucas Lima e Willian substituindo o centroavante colombiano Borja.

PRIMEIRO TEMPO

Sabendo do estilo de jogo atleticano, com passes curtos desde o campo de defesa, o Palmeiras tratou de adiantar a marcação desde o primeiro minutos de jogo, pressionando o time da casa desde o campo de ataque e, com a bola, agredindo com as infiltrações dos volantes e meias pela região central do campo.

A estratégia deu certo e os paulistas praticamente anularam o time paranaense. A exceção foi o intervalo de tempo entre os 20 e 30 minutos de jogo, quando o Furacão chegou cinco vezes com perigo ao gol adversário. Depois, a pressão palmeirense voltou e o gol acabou saindo aos 43 minutos, após mais um erro na saída de bola atleticana que terminou com gol de Bruno Henrique.

 

SEGUNDO TEMPO

Com a vantagem construída, o Palmeiras diminuiu a pressão no campo de ataque e deu um respiro para o Furacão trocar passes. Essa maior posse de bola atleticana, contudo, não traduziu-se em chances de gol. Pior: os erros defensivos persistiram, resultando no segundo gol dos visitantes, que ampliaram o placar aos 14 minutos, com Marcos Rocha aproveitando o rebote após o chute forte de Dudu.

A partir do segundo gol, a desorganização atleticana ficou ainda mais evidente. O Palmeiras não perdoou e, em mais um erro na saída de bola atleticana, chegou ao terceiro gol aos 40 minutos, com Willian.

Aos 44, o Atlético descontou com Pablo após o passe do ‘atacante’ Thiago Heleno. Mas boa parte da torcida nem viu o gol, já que muitos foram embora após o terceiro gol palmeirense.

FICHA TÉCNICA

Atlético-PR 1 x 3 Palmeiras

Atlético-PR: Santos; Pavez, Thiago Heleno e Zé Ivaldo; Rossetto (Renan Lodi), Lucho González (Jonathan), Camacho e Thiago Carleto (Bergson); Nikão, Guilherme e Pablo. Técnico: Fernando Diniz
Palmeiras: Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo (Thiago Santos), Bruno Henrique e Moisés (Lucas Lima); Dudu, Keno (Hyoran) e Willian. Técnico: Roger Machado
Gols: Bruno Henrique (43-2º), Marcos Rocha (14-2º), Willian (40-2º) e Pablo (44-2º)
Cartões amarelos: Felipe Melo, Lucas Lima (P); Thiago Carleto (A)
Árbitro: Claudio Francisco Lima e Silva (SE)
Público: 20.417 total
Renda: R$ 733.565,00
Local: Arena da Baixada, em Curitiba, domingo (06 de maio) às 16 horas

Related Posts

Facebook Comments