A Federação Paranaense de Futebol (FPF) comunicou nessa terça-feira (dia 22) o afastamento “por tempo indeterminado” do assistente Leandro Luiz Zeni. Ele trabalhou no empate em 3 a 3 entre Foz e Paraná Clube. A Comissão de Arbitragem da FPF afirmou apenas que ele foi afastado por “equivoco cometido” durante a rodada, mas não apresentoui mais detalhes.

A nota é assinada pelo presidente da Comissão, Afonso Vítor de Oliveira, e por Anderson Carlos Gonçalves, outro integrante do órgão.

Após o jogo de domingo, o Paraná Clube fez duras críticas à arbitragem do Paranaense e insinuou que o clube vem sendo perseguido em vários jogos. Contra o Foz, um dos lances reclamados é que o terceiro gol do clube do Interior estava impedido – e não foi anulado por Leandro Luiz Zeni.

Zeni é o quarto assistente de arbitragem a ser punido em 2016 no Paranaense. Antes dele, foram Marcos Rogério da Silva, Luiz Henrique de Souza Santos Renesto e Everson de Souza. Eles acabaram afastados após erros nos jogos PSTC 2×1 Coritiba, Foz 1×0 Londrina e Operário 0x1 Londrina.

No Paraná Clube, o técnico Claudinei Oliveira e pelo diretor de futebol, Durval Lara Ribeiro, o Vavá, fizeram duras críticas à arbitragem logo após o jogo. Agora, o zagueiro Zé Roberto também partiu para o ataque. “Eu reagi pessimamente para ser sincero. Acredito que todos podem ter um dia ruim em sua função, mas o engraçado é que os dias ruins acontecem em jogos do Paraná e isso me entristece muito. O Paraná se preocupou em fazer palestra no início da temporada com a comissão de arbitragem e hoje é o time que mais sofreu penalidades máximas. E tem duas expulsões que não foram exatamente nada. Quero sinceramente que a comissão de arbitragem seja imparcial”, afirmou o jogador.

Fonte: BemParaná

Related Posts

Facebook Comments