Lá vem o doido

Aconfirmação ainda não existe oficialmente, mas é quase certo que já está definido o novo técnico do Paraná Clube para a sequência da temporada de 2017. A diretoria paranista ainda não confirma, mas especula-se que o treinador Lisca Doido esteja em Curitiba para acertar os últimos detalhes com o Tricolor. O clima entre o grupo não é dos melhores depois da demissão do técnico Cristian de Souza, mas o volante Leandro Vilela garantiu que a meta é, diante do Brasil de Pelotas, nesta terça-feira (18), às 19h15, na Vila Capanema, dar um bico na má fase e voltar a vencer na Série B do Campeonato Brasileiro. “Vou ser bem sincero. Depois do jogo contra o Oeste cou um clima chato. Fomos buscar os três pontos, mas não conseguimos. Sobre o Lisca, confesso que é muita história que se ouve falar. Não sei se é ele mesmo ou não. Se vier será muito bem acolhido pelo grupo. Se o Matheus (Costa, auxiliar técnico) car, ele tem total conança. A gente tem que ter na cabeça que precisa passar essa fase ruim o mais rápido possível”, apontou. O jogador comentou ainda que espera que o novo treinador seja do perl dos técnicos Wagner Lopes e Cristian de Souza, comandantes do Paraná nesta temporada. Segundo Leandro Vilela, o estilo mais acolhedor dos dois prossionais são importantes para um grupo mais jovem como é o do Tricolor. “A gente está acostumado com o perl de bons técnicos que passaram aqui, o Wagner e o Cristian. Mais acolhedor e seria bom manter nessa linha. É um time jovem, de pessoas buscando o espaço no cenário brasileiro. Tem que continuar nessa linha, mas não cabe a mim a decisão. O Matheus tem todo respaldo e nossa conança. Está com a gente desde o começo do ano e tenho certeza que no jogo de amanhã (terça-feira) vai suprir todas as nossas necessidades”, emendou. Conra a classicação da Série B! O atacante Alemão, bastante sincero na entrevista concedida na tarde desta segunda-feira, na Vila Capanema, lamentou a fase ruim e a mudança no comando técnico do Paraná Clube. O centroavante paranista dividiu a responsabilidade com o grupo e alertou que, se a fase não mudar, as mudanças no elenco podem começar a aparecer. “Hoje em dia no futebol brasileiro é assim, mas não tinha que ser, como se a culpa fosse só dele (do treinador). A culpa é dele sim, que escala, escolhe os atletas, mas nós jogadores temos parcela de culpa. Tem que jogar e dar a resposta. Eu também não quei feliz com o jogo de sexta, estou até hoje puto da vida. Nosso time tem mais qualidade que o Oeste. Mas já foi, é passado. Não estou em defesa de ninguém e não é só o Paraná que é assim, que perde e manda o treinador embora. Se continuar com os mesmos resultados negativos vai sobrar para o jogador e não pode. Não é isso que a gente quer. O Paraná está há dez anos na Série B. Não tem porque um clube grande desse. Tem que brigar pelo acesso”, nalizou Alemão.

About the Author

Osires Nadal Júnior

Locução em autódromo, estádio, rádio, tv, palestra, cerimonial, formatura. Pauteiro, reporter, produtor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *