Ágatha e Duda garantem mais  um título Brasileiro

Ágatha e Duda garantem mais um título Brasileiro

Ágatha (PR) e Duda (SE) são as campeãs da temporada 20/21 do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia (CBVP). Neste domingo (21.03), elas superaram Bárbara Seixas/Carol Solberg (RJ) por 2 sets a 0 (21/17 e 21/17) na decisão da oitava etapa Open, no Centro de Desenvolvimento de Voleibol, em Saquarema (RJ). Com o título, elas coroaram uma temporada quase perfeita com oito finais e chegaram ao sexto ouro sendo o quinto consecutivo.

O título deste domingo é o 12º da dupla em etapas Open do Circuito Brasileiro. Individualmente, Ágatha tem agora 19 ouros no tour nacional, e Duda chegou a 13 conquistas em etapas do tipo Open.

A sergipana Duda comemorou a vitória e a conquista do seu primeiro título brasileiro. A jovem de 22 anos, eleita a craque da final da oitava etapa, se destacou em toda a competição e foi decisiva no saque no final do primeiro set.

“Nos esforçamos muito. Se manter entre as melhores é ainda mais difícil do que chegar lá. Nosso time é muito estudado pelas outras duplas e queremos sempre mais. Aprendemos uma com a outra e tentamos tirar de todos os jogos onde podemos melhorar. Pela corrida olímpica, acabamos não participando de algumas etapas na temporada passada e colocamos como meta esse ano vencer o Circuito Brasileiro. Fico muito feliz de termos alcançado esse objetivo. É meu primeiro título brasileiro e é um sonho realizado. Quero agradecer a Ágatha, a toda comissão técnica e aos patrocinadores”, disse Duda. 

Parceira de Duda, a medalhista olímpica Ágatha destacou a luta da dupla pelo primeiro título juntas do Circuito Brasileiro.

“É muito bom conquistar o que se coloca como meta. Acho que nosso time nunca tinha colocado tão forte isso como meta. E aí esse ano a gente colocou “vamos ser campeãs brasileiras”. Independentemente de o foco maior ser Tóquio, a gente tinha condição de primeiro brigar pelo Brasileiro e depois pensar lá na frente. E, na verdade, não deixa de ser uma construção para frente. Porque se colocando aqui querendo o primeiro lugar o tempo todo, a gente se obriga a toda hora ter que buscar ferramentas para conseguir estar em primeiro. E essa busca por ferramentas faz com que a gente aumente nossa bagagem para Tóquio. Então acho que foi a melhor coisa que a gente fez, focar no Circuito Brasileiro desde o primeiro torneio”, ressaltou Ágatha, que ainda falou sobre os próximos objetivos da dupla.

“Agora foco total internacional. Começar a estudar os times internacionais, jogar as etapas lá fora pensando já em quem são os times que vão estar nos Jogos Olímpicos. Foco total internacional a partir de agora”, destacou Ágatha.

Mesmo sem contar com público presente em razão dos protocolos de segurança sanitária, as partidas não ficaram sem torcida. Alguns fãs do vôlei de praia tiveram a oportunidade de acompanhar os duelos por meio da “Arquibancasa”. Acessando um convite virtual, eles interagiram com o animador e participaram de ações nos intervalos das partidas. O sistema foi exibido em telões na quadra central e trouxe animação e cores para dentro da competição.

Os torcedores também puderam eleger as melhores jogadoras em quadra de cada partida deste domingo por meio de votação no site e aplicativo da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV). Rebecca e Duda foram as eleitas nos respectivos confrontos da final e do bronze. 

Bronze

Na disputa pela medalha de bronze, melhor para Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE). Elas venceram, de virada, Taiana/Hegê (CE) por 2 sets a 1 (19/21, 21/15 e 15/11). A cearense Rebecca foi eleita a craque do jogo e comentou sobre a atuação da dupla na conquista do terceiro lugar. Foi o sexto pódio da dupla nesta temporada do CBVP.

 “Viemos da etapa de Doha do Circuito Mundial com um ritmo de jogo diferente. Sempre queremos dar o nosso melhor em todas as competições e estamos juntas. Estou muito feliz com esse pódio. Ontem fiquei chateada com a semifinal porque não apresentamos o nosso melhor voleibol, mas conseguimos levantar a cabeça e conquistamos esse bronze”, explicou Rebecca.

 Cada etapa do Circuito Brasileiro distribui R$ 47 mil às duplas campeãs dos dois naipes, e todos os times na fase de grupos são premiados. Ao todo, são distribuídos aproximadamente de R$ 538 mil por etapa.

Após a disputa do torneio feminino nesta semana, o torneio masculino será disputado na sequência, entre os dias 22 a 25 de março, mais uma vez no CDV. 

CONFRONTOS

BRONZE – Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE) 2 x 1 Taiana/Hegê (CE) (19/21, 21/15 e 15/11)

FINAL – Ágatha/Duda (PR/SE) 2 x 0 Bárbara Seixas/Carol Solberg (RJ) (21/17 e 21/17)

Related Posts

Facebook Comments