O Atlético Paranaense perdeu por 3 a 1 para o América-MG, nesse domingo (dia 3) à tarde, em Belo Horizonte, pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time paranaense ficou em 16º lugar, com 9 pontos, um ponto acima da zona de rebaixamento. A equipe mineira está na 9ª posição, com 14 pontos. Clique aqui para ver a classificação no site Srgoool.

Em relação ao desempenho, o Atlético repetiu a fraca atuação apresentada na maioria dos jogos de maio. O time falhou demais na marcação, na saída de bola e quase não atacou. Os raros lances de perigo foram bolas paradas de Carleto e dois belos lançamentos de Wanderson. Fora isso, quase nada.

Esse foi o 18º jogo do técnico Fernando Diniz no comando do Atlético, agora com 5 vitórias, 7 empates e 6 derrotas. O treinador ainda não conseguiu vencer como visitante.

CARLETO
O lateral Carleto é o jogador do time principal do Atlético que participou diretamente de mais gols em 2018. Ele anotou três gols e fez asssistências para outros sete nas 16 partidas que atuou. Guilherme e Pablo dividem a artilharia do time principal em 2018, com cinco gols cada. Ambos jogaram 16 vezes no ano. Contando também a equipe de aspirantes, a artilharia fica com o centroavante Ederson, com 10 gols em 19 partidas.

ESCALAÇÃO
O Atlético não tinha Paulo André, Pavez e Santos, em recuperação. Com isso, Fernando Diniz promoveu a estreia do goleiro Felipe Alves, 30 anos, ex-Paraná e Osasco Audax. O técnico manteve o esquema tático de sempre: defesa no 5-4-1 e ataque no 3-4-3. No América-MG, os desfalques eram Luan, Wesley, João Ricardo, Leandro Donizete, Rafael Moura e Lima. A equipe mineira jogou no 4-2-3-1.

PRIMEIRO TEMPO
A primeira etapa teve o América-MG melhor, roubando a bola no meio-campo e partindo rápido para o contra-ataque. O time paranaense errou muitos passes e armou as melhores chances para o adversário. A defesa também apresentou problemas de posicionamento e deixou vários “buracos”. Com a bola, o Furacão pouco levou perigo, mas abriu o placar na sua principal arma: a bola parada. Aos 37, Carleto cobrou falta com um chute forte. A bola desviou na barreira e enganhou Jori. O empatio veio já aos 39. Depois de bate e rebate dentro da área, Judison cruzou rasteiro para Serginho chutar.

SEGUNDO TEMPO
O cenário pouco mudou no segundo tempo. O América-MG era perigoso nas jogadas pelas pontas e o Atlético tinha dificuldades para se defender e para atacar. Mesmo assim, o Furacão teve grande chance aos 11 minutos. Wanderson lançou e Thiago Heleno chutou na trave. Depois disso, domínio do time mineiro. Aos 23 minutos, saiu Carleto e entrou Renan Lodi. O time mineiro melhorou na partida e fez 2 a 1 aos 37. Aylon cruzou e Serginho, livre na área, cabeceou. Aos 36, saiu Wanderson e entrou o meia-atacante Raphael Veiga. Com isso, Lucho González virou zagueiro.

ESTATÍSTICAS
Ao final dos 90 minutos, o Atlético somou 56% de posse de bola, 7 finalizações (3 certas), 92% de precisão nos passes e 5 escanteios. O América teve 44% de posse de bola, 20 arremates (8 certos), 91% nos passes e 9 escanteios. Os dados são do Footstats.

AMÉRICA 3 x 1 ATLÉTICO
América-MG: Jori; Norberto, Matheus Ferraz, Messias e Carlinhos (Giovanni); Christian, Juninho, Gerson Magrão (Ademir), Serginho e Aylon; Judivan (Aderlan). Técnico: Enderson Moreira
Atlético: Felipe Alves; Wanderson (Raphael Veiga), Thiago Heleno e Zé Ivaldo; Rossetto (Bergson), Camacho, Lucho González e Carleto (Renan Lodi); Nikão, Guilherme e Pablo. Técnico: Fernando Diniz
Gols: Carleto (37-1º), Serginho (39-1º e 30-2º), Ademir (44-2º)
Cartões amarelos: Guilhreme, Lucho González (Atl). Ferraz (Ame)
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Público: 4.679 total
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)

Related Posts

Facebook Comments