A semana paranista foi de alegria e esperança. Na quinta-feira, lançamento da nova camisa, produzida pela Topper, reforma no plano de sócios e a promessa (ou seria esperança?) de um time forte o suficiente para, finalmente, garantir o retorno à elite do futebol brasieiro.

Em campo, porém, quem fez a festa na tarde deste sábado, na Arena de Pernambuco, foi o Náutico – num literal choque de realidade para os paranistas. Aproveitando os erros do adversário, que esqueceu de entrar em campo e teve uma apresentação defensiva desastrosa, os pernambucanos se firmaram no G4 da Série B com uma goleada de 5 a 1, gols marcados por Renan Oliveira, Bérgson, Jefferson Nem e Taiberson (2). Henrique, em sua reestreia pelo Tricolor, marcou o “gol de honra”.

Com a goleada sofrida na região metropolitana de Recife, o Paraná cai para a 12ª colocação da Série B, ainda com 10 pontos. Antes do duelo, o time omava cinco gols sofridos. Agora são 10. Já o Náutico, que na próxima rodada encara o Vasco, chega aos 16 pontos e permanece na 4ª colocação, que lhe daria direito a jogar a Série A no ano que vem.

O Jogo

Para a partida da tarde deste sábado, o técnico Claudinei Oliveira contou com o retorno de Róbson, suspenso no empate em 0 a 0 contra o Atlético-GO, mas por outro lado teve quatro desfalques: os meios-campistas Nadson, Jean e Lucas Otávio e o lateral-esquerdo Rafael Carioca, todos no lesionados. Com isso, o prata da casa Basso teve a oportunidade de começar jogando.

Desde o começo da partida, era clara qual a estratégia paranista: defender-se o máximo possível e tentar, no contra-ataque, surpreender o Náutico de Alexandre Gallo. Não demoraria, porém,para a estratégia se revelar equivocada. É que não só o contra-ataque paranista não funcionava, não encaixava, por conta dos seguidos erros de passe na saída de bola, como ainda a defesa tinha dificuldades em se posicionar corretamente e conter o quarteto ofensivo formado por Nem, Taiberson, Bergson e Renan Oliveira.

Foi, inclusive, num erro desses que o Náutico abriu o placar, logo aos sete minutos, com Renan Oliveira (ex-Coritiba), que aproveitou uma série inacreditável de erros, primeiro do zagueiro Pitty, logo em seguida do jovem Basso.

Mesmo atrás do placar, porém, o Paraná manteve a postura, apostando nos contra-ataques. E também repetiu os erros, revelando a escassa criatividade de um time que, para piorar, costuma ter dificuldades de reação quando sai atrás do placar. E aos 30 minutos, as esperanças paranistas foram de vez para o ralo quando João Paulo, ao tentar dar um chutão para afastar a bola da área, furou e permitiu a Bérgson ampliar a vantagem dos donos da casa.

Na saída para o intervalo, um trágico João Paulo definiu o que ocorrera até ali com a equipe paranaense. “Equipe inteira não está acordada, tem que entrar com mais atenção. Tem 45 minutos para arrumar o que deu errado”,

Para fazer o time acordar, Claudinei Oliveira voltou para o segundo tempo com duas alterações: Diego Tavares e Henrique, este último fazendo sua reestreia pelo Paraná, entraram no time, com Basso e Marcelinho deixando o campo.

Antes mesmo de poder analisar as mudanças, contudo, o Paraná levou o golpe de misericórdia, e em nova falha de João Paulo, que foi facilmente superado por Maylson na lateral e permitiu a criação do lance que culminou no terceiro gol pernambucano.

Tudo o que está ruim, porém, pode piorar. E o time paranista tratou de provar isso aos seus torcedores. Aos 21 minutos, contra-ataque iniciado pelo goleiro Julio Cesar resultou no 4º gol do Náutico com Taiberson. O atacante ainda marcou seu segundo tento na partida nove minutos depois, em jogada criada por Jefferson Nem.

Não havia o que se fazer, tanto que Claudinei sequer queimou sua última substituição. Já no final da partida, a agonizante atuação ficou menos vergonhosa (se é que isso era possível) e a tarde paranista teve ao menos uma boa notícia: aos 42 minutos, Henrique fez uma boa jogada individual e marcou gol em sua reestreia pelo Tricolor. Esperança de dias melhores (ou menos piores) na Vila Capanema.

FICHA TÉCNICA

Náutico 5 x 1 Paraná

Náutico: Julio Cesar; Joazi (Ronaldo Alves), Rafael Pereira, Eduardo e Henrique; Eurico, Maylson(Gustavo Henrique) e Renan Oliveira; Jefferson Nem, Taiberson e Bergson (Tiago Adan).Técnico: Alexandre Gallo.
Paraná: Marcos; Leandro Silva, Pitty, João Paulo e Fernandes; Basso (Diego Tavares), Anderson Uchoa, Marcelinho (Henrique), Válber e Robson; Lúcio Flávio. Técnico:Claudinei Oliveira.
Gols: Renan Oliveira (7-1º), Bérgson (30-1º), Jefferson Nem (4-2º), Taiberson (21-2º e 30-2º) e Henrique (42-2º)
Cartões amarelos:
Arbitragem: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Público: 9.289 pagantes
Renda: R$ 144.375,00
Local: Na Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE), sábado às 16 horas

Related Posts

Facebook Comments