Com público recorde, Coxa bate o Operário

Com público recorde, Coxa bate o Operário

O Coritiba venceu por 3 a 1 o Operário, nesta quarta-feira (dia 3) à noite, no Couto Pereira, pela 33ª rodada da Série B. Com o resultado, o time da capital ficou na liderança da competição, com 61 pontos, 2 a mais que o vice Botafogo. A distância é de 10 pontos para o quinto colocado. A equipe de Ponta Grossa está em 12º lugar, com 41 pontos, 3 pontos acima da zona de rebaixamento. Clique aqui para ver a classificação no site Srgoool.

Clique aqui para ver as ATUAÇÕES — notas para os jogadores do Coritiba.

RECORDE DE PÚBLICO
A partida no Couto Pereira foi a primeira desde que a Prefeitura de Curitiba tirou a exigência de apresentação de teste para Covid-19 para entrar em eventos abertos, como jogos de futebol. E a torcida apareceu, registrando o maior público da Série B 2021 e também do futebol paranaense no ano: 16.886 pagantes. Antes, o maior público da Série B 2021 havia ocorrido na partida entre Sampaio Corrêa e Vasco, com 13.993 pagantes, no Castelão, em São Luís. O maior público do futebol paranaense em 2021 era o empate entre Athletico e Flamengo, na última terça-feira, com 15.193 pagantes na Arena da Baixada.

ARTILHEIROS
O centroavante Léo Gamalho é o artilheiro do Coritiba na temporada 2021, com 22 gols em 44 jogos, seguido pelo ponta Waguininho (10 gols em 43 jogos). O zagueiro Luciano Castán soma 6 gols em 45 jogos.

Na Série B, Léo Gamalho é o vice-artilheiro da competição, com 15 gols, atrás de Edu (Brusque), que tem 16.

Com o placar, o Coxa completa 3 jogos sem perder (2 vitórias e 1 empate). O Operário vinha de 3 partidas sem perder (2 vitórias e 1 empate).

NOVO FANTASMA
No 94 anos de rivalidade com o Operário, o Coritiba levou a melhor na maioria das vezes, com 47 vitórias, 19 empates e 16 derrotas. No entanto, o time de Ponta Grossa começou a incomodar em tempos recentes. Nos últimos 11 confrontos, são 3 vitórias do Coxa, 4 empates e 4 vitórias do ‘Fantasma’.

ESCALAÇÃO DO CORITIBA
A baixa era o volante Val, suspenso por cartões amarelos. Matheus Sales entrou nessa vaga. O meia Robinho começou no banco. Com isso, Rafinha e Waguininho foram titulares. O técnico Gustavo Morínigo manteve o esquema tático 4-2-3-1, com Waguininho, Rafinha e Igor Paixão na linha de três. Nos primeiros 20 minutos, Waguininho ficou centralizado e Rafinha na direita. Em seguida, os dois trocaram de posições.

ESCALAÇÃO DO OPERÁRIO
Os desfalques no Operário eram Fabiano, Djalma Silva, Bonfim, Rodolfo Filemon, Alex Silva, Pedro Ken, Rafael Oller, Leandrinho, Tomas Bastos e Jean Carlos. Sem um lateral-esquerdo, o técnico Ricardo Catalá foi obrigado a improvisar o zagueiro Odivan na posição.

PRIMEIRO TEMPO
O primeiro tempo foi intenso, com ataques frequentes dos dois lados. O Coritiba apostou tudo nas jogadas pela direita e nos cruzamentos para a área. Com essa proposta, conseguiu 12 finalizações — 10 de dentro da área. E chegou a marcar um gol, aos 38, com Henrique, aproveitando rebote do goleiro após cabeceio de Léo Gamalho. No entanto, o gol foi anulado por impedimento e confirmado pelo VAR. O Operário apostou nos arremates de longa distância e somou seis finalizações na primeira etapa – todos de fora da área. A melhor oportunidade foi aos 13, em bomba de Leandro Vilela (ex-Paraná Clube), que passou perto.

SEGUNDO TEMPO
O segundo tempo começou com gols. Já aos 2 minutos, Igor Paixão cobrou escanteio e Luciano Castán marcou de cabeça. Aos 6, Rafinha tocou para Léo Gamalho, que acionou Waguininho na área. Ele chutou e fez 2 a 0. Aos 11, Waguininho ajeitou para Léo Gamalho soltar a bomba de fora da área e fazer 3 a 0. O Operário diminuiu para 3 a 1 aos 18, em cruzamento de Thomaz e finalização de cabeça de Felipe Garcia. Aos 21, as primeiras substituições no Coxa, com as entradas de Robinho e Gustavo Bochecha. Em seguida, o Coritiba conseguiu controlar o jogo e administrar a vantagem no placar. A partida passou a ter raros lances de ataque. Nos minutos finais, porém, Léo Gamalho teve mais duas chances para ampliar, mas esbarrou em boa defesa do goleiro Thiago Braga. 

ESTATÍSTICAS
No total dos 90 minutos, o Coritiba teve 21 finalizações (6 certas), 45% de posse de bola, 81% de eficiência nos passes e 17 faltas cometidas. Já o Operário somou 13 finalizações (6 certas), 55% de posse de bola, 83% de eficiência nos passes e 12 faltas cometidas. Os dados são do site Sofascore.

CORITIBA 3×1 OPERÁRIO
Coritiba: Wilson; Natanael (Matheus Alexandre), Henrique, Luciano Castán e Guilherme Biro; Willian Farias e Matheus Sales (Gustavo Bochecha); Waguininho, Rafinha (Robinho) e Igor Paixão (João Vitor); Léo Gamalho. Técnico: Gustavo Morínigo
Operário: Thiago Braga; Lucas Mendes, Fábio Alemão, Reniê e Odivan (Guedes); Leandro Vilela (Rafael Chorão) e Marcelo; Felipe Garcia (Alan), Rafael Longuine (Rodrigo Pimpão) e Thomaz; Paulo Sérgio (Coutinho). Técnico: Ricardo Catalá
Gols: Luciano Castán (2-2º), Waguininho (6-2º), Léo Gamalho (11-2º), Felipe Garcia (18-2º)
Cartões amarelos: Natanael, Waguininho (C). Felipe Garcia, Leandro Vilela, Rodrigo Pimpão (O).
Árbitro: Antonio Dib Moraes de Sousa (PI)
Público: 16.886 pagantes (17.343 total)
Local: Couto Pereira

Related Posts

Facebook Comments