O flerte do Tubarão com o G4 começou tímido no primeiro turno – aquela paquera quase sem pretensões – mas pelas circunstâncias da Série B, acabou ganhando forças e todos se perguntavam: “será que vai rolar?”. O nervosismo e “calafrios” do pretendente alviceleste aumentou nas últimas cinco rodadas, a expectativa estava atrapalhando, e na semana passada a crise quase chegou: teve até “chacoalhão” do gestor do clube e desabafo do treinador. Mas, após 27 rodadas e uma montanha russa de emoções, o Londrina finalmente está no grupo de acesso à Série A do Campeonato Brasileiro do ano que vem. O time ocupa uma respeitável 4ª posição, com 42 pontos.
A vitória espetacular contra o Vila Nova por 2 a 1, no último sábado no Serra Dourada, até fez o torcedor esquecer os deslizes dos últimos três jogos. Agora, sem dúvida alguma, torcedores, jogadores e comissão técnica passam a acreditar que essa paquera pode ser tornar um namoro sólido até o final do campeonato. O time treina forte esta semana para duas partidas muito importantes no Estádio do Café: a primeira no sábado, dia 1º, contra o Oeste, às 18h30, e depois no confronto direto frente ao Bahia, 6º colocado com 40 pontos, terça-feira dia 4, às 19h15.
Tencati fez questão de lembrar “as pancadas” que a equipe levou da imprensa e do gestor Sérgio Malucelli na semana passada após o empate contra o Ceará em casa. Ele ressaltou que neste “entra, não entra” no G4, a psicologa do clube trabalhou para os jogadores pensarem no hoje e não ficar na expectativa sobre o futuro. Justamente o que time fez na última partida. “Já na preleção trabalhei com eles a importância de resistir as pancadas e continuar firme, porque a caminhada é longa e precisamos de uma equipe resistente. Essa última partida mostrou que o futebol aplica lições importantíssimas: numa bola, numa jogada, se defini o jogo. Já ganhei e perdi jogos desta forma”, salientou o técnico Claudio Tencati, em entrevista para a rádio Paiquerê.
O treinador do Tubarão lembrou ainda que em rodadas anteriores – nesta expectativa criada para entrar no G4 – alguns jogadores estavam ansiosos e outros até com receio de errar durante as partidas. Tencati disse que bateu na tecla de cada um fazer seu jogo, independentemente das circunstâncias. “Minha bronca no vestiário é sempre que cada um faça seu jogo. Se fizermos o que treinamos ao longo da semana as coisas vão acontecer. Contra o Vila, nosso time se mostrou equilibrado mesmo depois que tomamos o gol (de empate). Não ficamos tocando para trás, não nos omitimos do jogo e a conjuntura tática acabou funcionando”.
Por fim, ele se mostrou satisfeito com as alterações que têm feito durante a partida. Para o treinador, independentemente do esquema tática montado, todos os jogadores do elenco estão dando conta do recado. Contra o Vila Nova, por exemplo, Tencati elogiou as entradas de Anderson e Safira, que segundo ele, deram conta do recado. “Fico contente que as substituições funcionam da forma que eu penso”. Aliás, para a próxima partida, o treinador não poderá contar com os meias Zé Rafael e Rafael Gava, suspensos pelo terceiro cartão amarelo.
Victor Lopes

Related Posts

Facebook Comments