Outros tempos

Outros tempos

Outro dia postei em meu perfil no facebook um vídeo que mostrava a torcida Porcos Selvagens, do Toledo Futsal dominando o barulho no Ginásio da Neva. É apenas um vídeo, mas que pode ser o retrato de que Cascavel está abandonando seu esporte, e olha que nem falo apenas do supercampeão futsal.

Cheguei por aqui no início de 2002 para trabalhar justamente com o esporte. Peguei os jogos épicos do Cascavel Clube Recreativo na segundona e seu retorno à elite do futsal paranaense sob o comando de Joel Costa, um daqueles técnicos que sabe mexer com o brio da rapaziada.

Pouco depois, acompanhei todos os jogos que levaram o Cascavel Futsal ao primeiro e aos demais títulos. Vi nascer o FCC e seus objetivos bem definidos. Vi surgiram times considerados secundários porque um ou outro não gostam daquele, então não apoiam o time dele e montam outro, sem condições.

Também vi muita gente passar pela Semel. Entre erros e acertos, conferi quatro títulos de Jogos Abertos, nem sempre com a galera da caasa. Mas isso faz parte do regulamento. Já teve vôlei em Superliga e um belo trabalho de base, além de algumas tentativas de reerguer o basquete.

E não posso deixar de citar o trabalho incansável do pessoal do handebol.

O tempo mudou. E também para nós da imprensa.
Antes, a redação ficava esperando o final do jogo do time do futebol ou futsal para estampar a capa do dia seguinte. Eram, pelo menos, duas emissoras de rádio correndo as estradas e contando parte desta história.

Hoje, ninguém transmite. Dia desses, os jornais fecharam suas capas na madrugada com a votação do impeachment de Dilma, mas não havia uma linha sobre o jogo do futsal que ocorreu na mesma noite e terminou algumas horas antes.

Praticamente extinto o campeonato amador, que tentam reativar agora, graças ao apoio de pessoas que vieram de fora.

Uma pena.
Cascavel merece mais.

 

P.S.: deixo para falar do automobilismo local em uma outra oportunidade.

 

Related Posts

Facebook Comments