O Paraná Clube procura um técnico no mercado. A preferência da diretoria é por um treinador com perfil estudioso (atualizado com as inovações táticas) e com histórico de sucesso nas categorias de base. Seguindo essas características, três profissionais aparecem no topo da lista do clube paranaense, segundo informações da rádio Transamérica: Rogério Micale, Marquinhos Santos e André Jardine.

O favorito da diretoria, por enquanto, é Rogério Micale, 48 anos. Foi campeão da Copa São Paulo de Juniores 2008 com o Figueirense e ganhou duas vezes a Taça BH Sub-20 com o Atlético-MG (em 2010 e em 2011). Em 2015, passou a comandar as categorias sub-20 e sub-23 da seleção brasileira. Conquistou o ouro das Olimpíadas do Rio 2016 com a seleção. Foi demitido pela CBF em fevereiro de 2017.

Em julho de 2017, Micale foi contratado pelo Atlético-MG, para comandar o time profissional no Brasileirão. Durou apenas dois meses, somando 13 partidas, cinco vitórias, três empates e cinco derrotas. Hoje está sem clube, livre no mercado.

Marquinhos Santos, 38 anos, também está livre no mercado. Há cinco dias ele foi demitido pelo Paysandu. Ele estava no comando da equipe desde junho 2017 e foi o responsável por tirar o time da zona de rebaixamento na Série B. Em 28 jogos na segunda divisão nacional em 2017, somou dez vitórias, seis empates e 12 derrotas. Em 2018, teve três vitórias, dois empates e uma derrota.

O treinador ganhou destaque nas categorias de base com títulos e boas revelações no Atlético Paranaense. Em seguida, foi contratado pelo Coritiba, para comandar o sub-20. Ganhou uma chance no profissional e conquistou o título paranaense de 2013. Hoje está sem clube.

Dessa lista, o único atualmente empregado é André Jardine, 38 anos, que já conquistou sete títulso no comando dos juniores do São Paulo.

Um dos nomes descartados pelo Paraná é o de Hemerson Maria, atualmente no Vila Nova. O treinador revelou que foi procurado pelo time paranaense, mas não aceitou a proposta. “Eu já falei com o Felipe [Albuquerque] há dois dias. Realmente houve uma procura. Eu não saio do Vila Nova e não saio não é por questão financeira, por questão de time de série A. Hoje de repente, eu poderia estar dando um pulo na minha carreira, mas eu quero crescer junto com o Vila Nova”, declarou o treinador, em entrevista à Rádio 730 de Goiânia.

O Paraná também buscou informações sobre o técnico do Caxias, Luiz Carlos Winck, que vem se destacando no clube gaúcho.

Related Posts

Facebook Comments