O Coritiba não convenceu, mas venceu. Com força máxima e jogando o mínimo, a equipe encerrou na tarde deste sábado (17 de março), no Couto Pereira, a sequência de cinco jogos sem vitória. Triunfo que veio graças a uma falha bizarra do goleiro João Gabriel, que marcou um gol contra no começo do 2º tempo, e a uma série de defesas do goleiro Wilson, entre elas numa cobrança de pênalti de Richarlyson. No final, 1 a 0 para os donos da casa.

Já eliminado na Taça Caio Júnior, o Coxa soma seus primeiros pontos no segundo turno do Campeonato Paranaense e garante um pouco mais de tranquilidade ao técnico Sandro Forner, que soma seis vitórias, cinco empates e cinco derrotas no comando da equipe. Jogando em casa, são oito jogos e apenas duas vitórias e dois empates.

O Cianorte, por sua vez, segue temporariamente na liderança do Grupo A, com sete pontos, mas fica com a colocação ameaçada.Além disso, perde a invencibilidade no estadual – agora, soma quatro vitórias, cinco empates e uma derrota na competição – na temporada, apenas o Internacional, duas vezes pela Copa do Brasil, havia conseguido superar os comandados de Marcelo Caranhato.

ESCALAÇÕES

Pressionado, Sandro Forner escalou o que tinha de melhor. Foram três mudanças em relação ao time que naufragou na Copa do Brasil, com o lateral Léo Andrade na zaga devido à lesão de Thalisson Kelven e César Benítez jogando pela lateral-esquerda, Matheus Galdezani substituindo Guilherme Parede e Pablo no lugar de Iago Dias. Seguem no departamento médico: o lateral-esquerdo William Matheus, o volante Vitor Carvalho e o atacante Kleber – que se preparava para voltar ao time, mas sofreu nova lesão e deve ficar pelo menos um mês fora.

Marcelo Caranhato, por sua vez, teve de lidar com seis desfalques por conta de lesão ou desgaste físico. Gerônimo, Montoya, Arroyo, André Luís e Clebinho, titulares no meio de semana contra o Inter, pela Copa do Brasil, foram substituídos por Guilherme Lucena, Marcão, Formiga, Murilo e Neto Costa.

PRIMEIRO TEMPO

Jogando no habitual 4-1-4-1, com João Paulo de primeiro volante, o Coritiba apostou na pressão alta e teve mais volume de jogo. O aparente domínio, contudo, não se traduziu em chances de gol, principalmente por conta do nervosismo do time coxa-branca, pressionado pela sequência de cinco jogos sem vencer que resultaram em eliminações na Taça Caio Júnior e na Copa do Brasil.

O cenário agravou-se a partir da metade do primeiro tempo, por conta dos seguidos erros do Coxa na saída de bola. O Cianorte aproveitou e por pouco não abriu o placar. Aos 23, Wilson praticou bela defesa em cabeceio de Neto Costa. Aos 38, consagrou-se uma vez mais ao salvar pênalti cobrado por Richarlyson.

WILSON ‘MALANDRO’

Na saída para o intervalo, o experiente meio-campista, que fez história jogando com as camisas de São Paulo e Atlético-MG, tentou explicar o pênalti desperdiçado. “Acho que meu irmão deve ter avisado (sobre como bato os pênaltis). O Wilson deve ter visto o pênalti que bati contra o Criciúma, de chapada. É assim mesmo, só perde quem está ali”.

Já o goleiro coxa-branca esclareceu que tudo não passou de uma estratégia para desestabilizar o rival. “Ele (Alecsandro) não me falou, mas eu brinquei (com o Richarlyson), falando que o Alecsandro tinha me contado (o jeito que batia o pênalti), para ver se conseguia desequilibrar. Não sei se ele bateu no canto que costuma bater, mas felizmente consegui pegar”. 

SEGUNDO TEMPO

Logo no início da etapa final, o alívio coxa-branca. Aos três minutos, depois da cobrança de escanteio de Julio Rusch, o goleiro João Gabriel cometeu uma falha bizarra e empurrou contra o próprio gol, fazendo 1 a 0 para o time da casa. O Coxa ainda teve a chance de ampliar o marcador três minutos depois, mas Pablo tratou de mostrar o porque do jejum de gols que data de 2015.

A partir daí, a partida foi perdendo em intensidade. O Cianorte fez as três mudanças a que tinha direito e levou perigo em duas ocasiões, aos 19 e aos 24 minutos. Wilson, novamente, salvou.

No Coxa, Sandro Forner primeiro colocou Yan Sasse no lugar de Thiago Lopes, aos 22 minutos. Aos 39, o jovem meia teve uma chance incrível para marcar, ao aparecer livre e de frente para o gol dentro da área. Mas bateu de canela e jogou para fora – que fase!

FICHA TÉCNICA

Coritiba 0Cianorte 

Coritiba: Wilson; Marcos Moser, Romércio, Léo Andrade e Benítez; João Paulo, Matheus Galdezani (Fabricio Alvarenga), Julio Rusch; Thiago Lopes (Yan Sasse) e Pablo (Guilherme Parede); Alecsandro. Técnico: Sandro Forner
Cianorte: João Gabriel; Guilherme Lucena (Gerônimo), Feliphe Gabriel, Marcão e Formiga; Rafael Carrilho, Everton Morelli, Richarlyson (Maikinho) e Rafael Xavier (Edilson); Murilo e Neto Costa. Técnico: Marcelo Caranhato
Gols: João Gabriel (GC, 3-2º)
Cartões amarelos: Pablo e Fabricio Alvarenga (COR)
Árbitro: Adriano Milczvski
Público: 2.234 pagantes (2.427 total)
Renda: R$ 47.985,00
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR), sábado (17 de março) às 16h30

Related Posts

Facebook Comments