Semana decisiva para a Toledo Futsal

Semana decisiva para a Toledo Futsal

A dificuldade financeira do Toledo Futsal persiste. Na última sexta-feira (27), representantes da equipe e torcedores se reuniram com o presidente da Câmara de Vereadores Ademar Dorfschmidt para conversar sobre a ajuda do município à modalidade. Apesar dos esforços, por enquanto não há alternativa legal de mais incentivo público e o time espera patrocínios para permanecer na competição.

O presidente da Associação Toledana Amigos do Futsal (Ataf) Jairo Luiz Cerbarro comenta que Toledo chegou pela primeira vez por meio de desempenho próprio à Chave Ouro do Campeonato Paranaense e apesar da boa campanha corre o risco de abandonar a competição.

“Não temos recursos para continuar, ou conseguimos ajuda, ou paramos”, sentencia. Jairo explica que os torcedores tinham esperança que o poder público pudesse ajudar. Mas, em reunião, o presidente do Legislativo informou que não há alternativas. “Ele explicou que o que pode ser feito de maneira legal está sendo, que é a ajuda com o transporte, taxa de arbitragem e alimentação para os atletas quando os jogos são fora do município. Esse é o respaldo que o Poder Municipal pode dar a todas as modalidades e o futsal já recebe”, informa.

O responsável acrescenta que, no entanto, durante o encontro, foi levantada uma possibilidade para o futuro. “Existe a possibilidade da criação de uma fundação para a qual a Prefeitura pode repassar recursos e as modalidades os dividir. Hoje já existe em outras cidades, como Guarapuava que a fundação ganha mais de R$ 200 mil. O Ademar ficou de verificar como funciona, para quem sabe implantar aqui”, acrescenta ao esclarecer que como é uma opção para os próximos anos, não resolve o impasse atual.

AJUDA
Sem previsão de recursos públicos, resta ao time esperar que empresas patrocinem o futsal. “Continuamos então aguardando que empresários da cidade ajudem a equipe, vejam que estamos fazendo um trabalho bom, sério, com resultados positivos e se disponibilizem a colaborar”, salienta.
Ele completa que a crise é enfrentada na modalidade, pois são, somente no Paraná Chave Ouro, cerca de cinco equipes no vermelho.
“Toledo fechou este mês em dia, mas a partir do próximo teremos um déficit de R$ 15 mil em média, dependendo da bilheteria. Não temos mais reservas e não vamos começar a acumular dívidas. Se não houver investimentos, teremos que desistir”, lamenta.

Cerbarro adianta que há uma esperança com o deputado estadual José Carlos Schiavinato, pois se comprometeu a conversar com a Sanepar e Copel, na busca de patrocínio. “Estamos acreditando em uma solução. Agora dia 3 temos jogo em Foz e no dia 7 em Toledo contra o Paranavaí. Se nada acontecer até lá esse será o último jogo, porque não podemos manter um time que acumula dívidas”, reforça.

Fonte: Jornal do Oeste

Related Posts

Facebook Comments