Apesar de fazer seu melhor início de temporada desde 2013, ano em que estreou na Fórmula Truck, Diogo Pachenki, vice-líder do Campeonato Brasileiro, afirma que ele e sua equipe têm de melhorar muito para se aproximarem do líder Felipe Giaffone, vencedor das duas corridas neste ano: Santa Cruz do Sul e Curitiba. Pachenki espera que em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, no dia 15 de maio, na terceira etapa de 2016, ele repita o pódio e a sequência ascendente que apresentou nas provas de abertura, quando foi, respectivamente, terceiro e segundo colocado.

“Essa melhora no começo é consequência de eu e meu patrocinador (Copacol) e a equipe nunca termos parado de trabalhar para buscar melhores resultados. Temos visto o Felipe muito bem nas duas corridas deste ano e precisamos evoluir para chegar no final do ano disputando o título, que é meu grande objetivo. O Felipe é o piloto a ser batido e a RM Competições a equipe a ser batida. Temos de dar um passo à frente e melhorar três ou quatro décimos“, disse Diogo.

Além da excelente fase de Giaffone, outra dificuldade que Pachenki vê em Campo Grande é que seu Mercedes-Benz bicudo tem para andar em circuitos travados, como o da capital do Mato Grosso do Sul.

“Meu caminhão tem andado melhor em traçados onde a velocidade é mais elevada e Campo Grande tem muitas curvas de baixa velocidade. Vamos ver se conseguimos evoluir o quanto precisamos para esta corrida, pois além do Felipe existem, no mínimo, oito pilotos com chances de vencer e de brigar pelo título. Além dos primeiros na tabela, o Leandro Totti vai andar muito bem com o Volvo, e o David Muffato vai incomodar com o seu MAN entre outros“, completou Diogo.

Related Posts

Facebook Comments