Ameaça contínua

O Paraná Clube, uma vez mais, apresentou aos seus torcedores um verdadeiro show de horrores na tarde deste sábado (15 de outubro). Jogando na Arena Joinville contra o então penúltimo colocado da Série B, um time que não vencia há nove jogos e que realiza a pior campanha como mandante na competição, o clube paranaense acabou derrotado por 1 a 0 em uma partida tecnicamente sofrível. O gol solitário, marcado por Fernando Viana, saiu num frango do jovem goleiro paranista Wendell.

Com o resultado, o Paraná permanece na 15ª colocação da segunda divisão, com 36 pontos. Já o Joinville sobe uma posição na tabela e agora aparece na 18ª colocação com 29 pontos. Os catarinenses estão quatro pontos atrás do Oeste, 16ª colocado, enquanto os paranaenses estão seis pontos na frente do Bragantino, 17ª colocado.

Paraná “ressuscita” o Joinville

Antes de entrar em campo neste sábado, pela 31ª rodada da Série B, o Joinville estava virtualmente rebaixado. Pior mandante da competição, com somente duas vitórias e 33,33% de aproveitamento dos pontos disputados dentro de casa, a equipe aparecia na vice-lanterna, seis pontos atrás do 16º colocado. Com a vitória, o time encerra uma sequência de nove jogos sem vencer e respira: sobe uma colocação e reduz para quatro pontos a diferença para o Oeste.O pulso ainda pulsa!

Desfalques para Roberto Fernandes

Para o duelo fora de casa, o técnico Roberto Fernandes, que vinha de uma vitória em casa (5 a 3 contra o CRB) na última rodada, teve de lidar com uma série de desfalques. Enquanto Henrique e Leonardo seguem em recuperação, o goleiro Marcos, o lateral Diego Tavares, os zagueiros Pitty e Leandro Silva e o atacante Karanga cumpriram suspensão após levarem o terceiro amarelo.

A principal novidade foi o zagueiro Zé Roberto, 35 anos, que não atuava há quatro meses. Na Série B, ele só jogou por 45 minutos contra o Luverdense, em 17 de junho, entrando no segundo tempo.

O Joinville, por sua vez, contava com a equipe completa para o decisivo duelo deste sábado, encarado como um possível divisor de águas dentro do clube. A principal novidade foi a volta de Fernando Viana autor do gol decisivo, ao time titular.

Meio de campo reforçado

Com tantos desfalques, Roberto Fernandes resolver apostar numa marcação reforçada no meio de campo e, principalmente, na lateral-esquerda, setor por onde caíam Erick Luís e Reginaldo, do Joinville. Assim, o técnico apostou num meio de campo com três volantes, com Uchôa, Fernandes e Wellington Reis. No ataque, Lúcio Flávio, isolado, “alimentado” por Murilo Rangel e Nadson.

Semana cheia

O jogo acontece depois do primeiro período mais longo que o técnico Roberto Fernandes teve para treinar o time desde a sua chegada, já que o Paraná não fez jogos durante a semana e seu último duelo havia sido no sábado (05 de outubro). O time, porém, não conseguiu apresentar grande evolução, embora comece a mostrar qualidade na bola parada, com bons lances ensaiados.

PRIMEIRO TEMPO

Apesar das mudanças para reforçar a marcação no lado esquerdo e conter os avanços de Reginaldo, lateral-direito ex-Coritiba, e Erick Luís, o Joinville ainda encontrava um corredor para explorar. Com apenas nove minutos os donos da casa já havia chegado três vezes com perigo pelo lado direito de seu ataque, abrindo o placar em falha de Wendell, que aceitou o chute fraco e no meio do gol de Fernando Viana. Um frango!

Em desvantagem no placar, o time paranaense conseguiu ao menos equilibrar o duelo, embora pouquíssimo criasse, travando o jogo no meio de campo. Rafael Carioca teve, numa bela jogada ensaiada, a grande chance para empatar, mas falhou. E a situação paranista acabou por se complicar de vez aos 36 minutos, quando Wellington Reis cometeu falta em Jael no contra-ataque do Joinville e tomou o segundo cartão amarelo.

SEGUNDO TEMPO

Logo na volta do intervalo, Roberto Fernandes promoveu a primeira mudança em sua equipe, sacando o meia Murilo Rangel para a entrada do atacante Núbio Flávio. No Joinville, Ramon Menezes respondeu aos 18 minutos, sacando o meia Carlos Alberto para a entrada do atacante Aldair. Depois, ainda entrou Guilherme Queiroz no lugar de Fernandes no Paraná, enquanto Diego e Claudinho substituíram Erick Luís e Fernando Viana no time da casa.

A atuação apática do time visitante, porém, se manteve mesmo com as substituições que apontavam um time mais ofensivo para a etapa final. Com um jogador a menos, os comandados de Roberto Fernandes ainda deixavam espaços no setor defensivo, dada a superioridade numérica do adversário.

NÚMEROS DO JOGO

A vantagem do Joinville dentro de campo, no entanto, não se traduziu em chances de gol. Durante toda a partida, os catarinenses finalizaram 11 vezes a gol, somente duas no alvo. O Paraná teve oito finalizações, quatro na meta. A posse de bola, porém, indica o porque da tranquilidade dos donos da casa no duelo: 61% x 39%.

JOINVILLE 1 X 0 PARANÁ

Joinville: Jhonatan; Reginaldo, Rafael Donato, Ligger e Fernandinho; Naldo, Tinga, e Carlos Alberto (Aldair), Fernando Viana (Claudinho) e Erick Luís (Diego); Jael. Técnico: Ramon Menezes.
Paraná: Wendell; Lucas Taylor, Zé Roberto, Alisson e Rafael Carioca; Wellington Reis, Fernandes (Guilherme Queiroz), Anderson Uchôa, Murilo Rangel (Núbio Flávio) e Nadson; Lúcio Flávio. Técnico: Roberto Fernandes.
Gols: Fernando Viana (9-1º)
Cartões amarelos: Wellington Reis, Alisson, Lucas Taylor (P); Fernando Viana, Ligger (J)
Cartão vermelho: Wellington Reis (P)
Árbitro: Cláudio Francisco Lima e Silva (SE)
Público: 3.486 pagantes
Renda: R$ 45.945,00
Local: Arena Joinville (SC), sábado (15/10) às 16 horas.

 

About the Author

Osires Nadal Júnior

Locução em autódromo, estádio, rádio, tv, palestra, cerimonial, formatura. Pauteiro, reporter, produtor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *