Cinco em um

Cinco em um

Era fim de 2014, setembro ou outubro, quando chegou aos meus ouvidos um zumbido que, de início, soou como um dos maiores absurdos que já tinha ouvido: alguém me contou que a Vicar estava arquitetando a junção de cinco categorias em um mesmo evento. O absurdo que imaginei não estaria, claro, em juntar os cinco campeonatos que a empresa promove direta ou indiretamente. Isso acontece em vários cantos do mundo – ok, é só uma boba força de expressão, eu sei que o mundo é redondo. A questão que tomei por base para fazer minha inútil primeira análise da ideia estava na estrutura dos autódromos brasileiros, ou em sua falta, identificada em doses maiores aqui, menores ali.

 

Pilotos e equipes de Stock Car, Copa Petrobras de Marcas, Brasileiro de Turismo, Fórmula 3 e Mercedes-Benz Challenge se acotovelando nos boxes foi coisa que me pareceu impossível, de início. Lembro que num evento em Curitiba chamei o Maurício Slaviero de canto e, antes de lhe antecipar os votos de saúde para o caso de um espirro dele mais tarde, perguntei em qual autódromo ele imaginava ser possível cumprir uma façanha tão doida. A resposta veio no tom tranquilo que o Maurício sempre usa: “Em todos eles”. Arrisquei meu emprego treplicando que ele estava doido. Ele riu e saiu, talvez pensando em colocar meu cargo à disposição num balcão de anúncios diante de tamanha insubordinação. Nunca vou saber.

 

Bem, a ideia foi mesmo colocada em prática. A Copa Petrobras de Marcas deixou de ser carro-chefe de seu próprio evento para se abrigar sob o guarda-chuva da Stock Car. Os 12 fins de semana da categoria principal da casa abrigaram outros 32 eventos – F-3, Turismo, Marcas e Challenge tiveram oito etapas, cada, distribuídas no calendário de modo que uns eventos apresentaram três categorias ao público, alguns outros tiveram quatro e dois apresentaram as cinco categorias. É o que vai acontecer de novo na abertura da segunda metade da temporada atual, dias 10 e 11 de setembro. Interlagos vai abrigar, nos dois dias, nove corridas dos cinco campeonatos. É programação para fã de automobilismo nenhum botar defeito.

 

É lógico que não basta amontoar os campeonatos todos numa página de agenda e esperar os convidados. A Vicar e seus colaboradores submetem-se a uma verdadeira operação de guerra para fazer com que tudo isso seja trazido a efeito em meio a mais uma série de ações promocionais, sociais e logísticas que se fazem necessárias para que tudo saia nos trinques. E os fins de semana são, por assim dizer, bastante intensos. Basta imaginar a carga de trabalho que acomete, além do próprio batalhão da Vicar, comissários técnicos e desportivos, equipe de produção de TV, jornalistas e fotógrafos, sinalizadores de pista e até mesmo os integrantes das equipes de competição que disputam mais que um campeonato.

 

A falta de estrutura física peculiar à grande maioria dos autódromos brasileiros foi sanada a partir da adoção de estruturas móveis. Tendas, mesmo, apropriadas para o fim a que servem. Tem dado certo – o Maurício e o pessoal dele não estavam doidos, afinal. A programação de setembro em Interlagos terá foco em qualquer coisa em torno de 110 carros. Vá lá que os 18 eventos já realizados sob o formato que me pareceu absurdo num primeiro momento deram uma boa escola a quem tem a missão de fazer a coisa acontecer. O que é ótimo. Não devemos esquecer que, desta vez, os integrantes da programação quíntupla terão de lidar, também, com as obras – as intermináveis obras – no autódromo. Pelo sim, pelo não, desejem-nos sorte.

Related Posts

Facebook Comments