Clássico das bolas na trave

Atlético Paranaense e Coritiba empataram em 1 a 1, nesse domingo (dia 10) pela manhã, na Arena da Baixada, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o Furacão ficou em 9º lugar, com 31 pontos – empatado em pontos com o sexto colocado, o Vasco. O Coxa está na 14ª colocação, com 27 pontos – dois pontos acima da zona de rebaixamento.

Em relação ao desempenho, o Atlético dominou o jogo e acertou quatro bolas na trave – uma em cobrança de pênalti. O Coxa ficou recuado nos 90 minutos e esperou uma falha do adversário para atacar.

O clássico foi marcado por três lances polêmicos com a arbitragem. O Coritiba reclamou que não teve uma penalidade marcada aos 37 do 2º, quando Rildo caiu ao dividir com Pavez. No contra-ataque dessa jogada, Felipe Gedoz caiu ao dividir com Iago Dias. O árbitro marcou pênalti e o Atlético converteu, empatando o placar em 1 a 1. Pelas imagens da TV, esses dois lances são duvidosos e dependem muito da interpretação da arbitragem. Já o pênalti do primeiro tempo, de Alan Santos em Lucas Fernandes, não deixa dúvida que houve a falta. No entanto, Nikão desperdiçou a cobrança, acertando a trave.

Clique aqui para ver a galeria de fotos do Atletiba.

RIVALIDADE
Esse foi o 337º Atletiba. O Coritiba venceu o clássico 132 vezes e o Atlético, 106. Ocorreram 99 empates. Na nova Arena da Baixada, reformada para a Copa do Mundo 2014, o retrospecto mostra equilíbrio no clássico: três vitórias atleticanas, duas do Coxa e dois empates. No total da história da Arena, são 40 vitórias do Atlético, 30 empates e 26 vitórias do Coritiba.

BIOMETRIA
O Atletiba desse domingo foi o primeiro jogo do futebol brasileiro com todos os torcedores acessando o estádio por biometria (leitura das digitais). Antes do jogo, houve tumulto e filas para acessar a Arena. Torcedores protestaram.

TÉCNICOS
Foi o 13º jogo do técnico Fabiano Soares à frente do Atlético. Ele soma 4 vitórias, 4 empates e 5 derrotas, entre Brasileirão, Copa do Brasil e Libertadores.

Marcelo Oliveira completou sete jogos no comando do Coritiba em 2017, agora com 2 vitórias, 2 empates e 3 derrotas.

ESCALAÇÃO DO ATLÉTICO
Fabiano Soares não tinha desfalques e manteve o esquema tático 4-2-3-1. As novidades foram as voltas de Lucho González e Jonathan, recuperados de lesão. As surpresas foram Ederson e Lucas Fernandes, que deixaram no banco Ribamar e Sidcley.

ESCALAÇÃO DO CORITIBA
Marcelo Oliveira não contava com seis jogadores: Alecsandro, Anderson, Márcio, João Paulo, Henrique Almeida e Filigrana. Os três primeiros estavam suspensos. Os três últimos, em recuperação. O treinador manteve o 4-2-3-1. A novidade era Getterson, que não jogava há 75 dias.

PRIMEIRO TEMPO
O Coritiba entrou com postura defensiva. Os laterais e volantes apenas marcavam e, com a bola, não avançavam. O Atlético controlou o meio-campo e a posse de bola. Teve certa facilidade para iniciar as jogadas, mas não encontrou espaços no ataque, no terço final, para finalizar.

Só a partir dos 20 minutos o Furacão começou a furar a retranca do Coxa. Aos 22, Nikão cruzou na medida para Ederson, mas ele cabeceou para fora. Aos 28, Nikão cobrou escanteio e Paulo André cabeceou a bola na trave. Aos 38, Alan Santos derrubou Lucas Fernandes na área. Pênalti. Nikão cobrou na trave.

No seu único ataque expressivo do primeiro tempo, o Coritiba chegou ao gol. Longuine cobrou falta com cruzamento para a área. Werley entrou livre e cabeceou no canto.

SEGUNDO TEMPO
O jogo recomeçou com o mesmo cenário: o Atlético dominando e o Coritiba recuado. A diferença é que o Coxa passou a encontrar mais espaços para contra-ataques. Aos 25, o Furacão acertou a terceira bola na trave: Gedoz cobrou falta e acertou o poste. Aos 37, os dois lances polêmicos: o Coxa reclamou de pênalti não marcado em Rildo e o Atlético comemorou a penalidade em cima de Gedoz. Aos 41, Gedoz cobrou o pênalti e converteu, empatando em 1 a 1. Aos 45, Ribamar recebeu belo passe de Guilherme e chutou na trave.

SUBSTITUIÇÕES
Todas as substituições ocorreram no segundo tempo. Aos 14, saiu Lucas Fernandes e entrou Felipe Gedoz no Furacão. Aos 16, o Coxa trocou Longuine por Tiago Real. Aos 21, Lucho González foi substituído por Rossetto. Aos 24, saiu Werley, lesionado, e entrou Cleber Reis, que fez sua estreia pelo Coxa. Aos 28, Ederson deixou o campo e Ribamar entrou. Aos 30, Getterson foi para o banco e Iago Dias foi para o jogo.

EXPULSÃO
O zagueiro Werley foi expulso após o apito final, por reclamar com a arbitragem.

ESTATÍSTICAS
Ao fim de 90 minutos, o Atlético somou 15 finalizações (9 certas), 60% de posse de bola, 93% de eficiência nos passes e 6 escanteios. O Coritiba teve 4 arremates (1 certo), 40% de posse de bola, 85% de eficiência nos passes e 2 escanteios. Os dados são do Footstats.

ATLÉTICO 1 x 1 CORITIBA
Atlético: Weverton; Jonathan, Thiago Heleno, Paulo André e Fabrício; Pavez, Lucho González (Rossetto), Lucas Fernandes (Felipe Gedoz), Guilherme e Nikão; Ederson (Ribamar). Técnico: Fabiano Soares
Coritiba: Wilson; Léo, Walisson Maia, Werley (Cleber Reis) e William Matheus; Alan Santos, Galdezani, Getterson (Iago Dias), Rafael Longuine (Tiago Real) e Rildo; Kleber. Técnico: Marcelo Oliveira
Gols: Werley (44-1º), Gedoz (41-2º)
Expulsão: Werley (após o jogo)
Cartões amarelos: William Matheus, Kleber, Léo (C). Guilherme (A).
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Público: 15.081 pagantes (17.420 total) Renda: R$ 366.885,00
Local: Arena da Baixada

About the Author

Osires Nadal Júnior

Locução em autódromo, estádio, rádio, tv, palestra, cerimonial, formatura. Pauteiro, reporter, produtor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *