O Atlético Paranaense está na segunda fase da Copa do Brasil. A vaga foi garantida nessa quarta-feira (dia 13) à noite, na Arena da Baixada, com a vitória por 1 a 0 sobre o Brasil de Pelotas (RS), na partida de volta da primeira fase. Na próxima fase, o Furacão vai enfrentar o vencedor do confronto entre Nacional (AM) e DomBosco (MT).

No jogo de ida, em Pelotas, houve empate em 1 a 1. O gol fora de casa é critério de desempate. Com isso, um 0 a 0 era suficiente para classificar o Atlético. Um 2 a 2, porém, daria a vaga ao clube gaúcho. Em caso de novo 1 a 1, a decisão seria nos pênaltis – sem prorrogação.

O gol da vitória foi marcado pelo volante Hernani. O passe foi do atacante André Lima, que agora é o líder em assistências do Atlético em 2016, com 5, à frente de Vinícius e Nikão (ambos com 4).

O clube aumentou sua invencibilidade no estádio. Em partidas de mata-mata, nunca perdeu na nova Arena da Baixada, inaugurada em 2014. Em 8 jogos de fases eliminatórias, venceu 7 e empatou 1.

Esse foi o 7º jogo do técnico Paulo Autuori no Atlético. Agora ele soma 4 vitórias, 1 empate e 2 derrotas.

A torcida Os Fanáticos não entrou no estádio nessa partida. Integrantes da organizada ficaram do lado de fora da Arena e realizaram um protesto. Na terça-feira, o clube proibiu camisas e materias da Fanáticos.

Punido por indisciplina, o atacante Walter começou a partida no banco de reservas. Víncius estava suspenso. E Autuori decidiu poupar Paulo André, Eduardo, Otávio e Nikão pelo desgaste físico.

O Atlético começou no esquema tático 4-2-3-1 e com o mesmo estilo das últimas partidas: pressão alta, prioridade à posse de bola e avanços frequentes dos laterais e volntes. O Brasil ficou recuado e à espera de um erro adversário para contra-atacar. O time paranaense não tinha pressa e a equipe gaúcha não tinha coragem para atacar. O resultado foi um primeiro tempo quase sem jogadas ofensivas.

O primeiro tempo teve o Atlético com 75% de posse de bola, 4 finalizações (nenhuma certa), 89% de precisão nos passes e 4 escanteios. O Brasil teve 84% de precisão nos passes, 1 escanteio e nenhuma finalização.

No intervalo, Autuori tirou Pablo e Jadson. E colocou Walter e Hernani. O time seguiu no 4-2-3-1, com Walter como meia-atacante centralizado, atrás do centroavante André Lima. O jogou mudou radicalmente. Com a mobilidade de Hernani e os dribles de Walter, o Atlético partiu para o ataque e criou dificuldades para o adversário. O gol virou questão de tempo.

O placar foi aberto aos 29 minutos. André Lima fez a jogada de pivô e preparou para Hernani chutar no canto: 1 a 0. O Brasil não teve qualidade para reagir.

No total dos 90 minutos, o Atlético teve 74% de posse de bola, 9 finalizações (2 certas), 91% de precisãos nos passes e 9 escanteios. O Brasil somou 3 finalizações (1 certa), 84% nos passes e 3 escanteios. Os dados são do Footstats.

ATLÉTICO 1 x 0 BRASIL
Atlético: Weverton; Léo, Vilches, Thiago Heleno e Sidcley; Deivid, Jadson (Hernani), Giovanny (Ewandro), Pablo (Walter) e Marcos Guilherme; André Lima. Técnico: Paulo Autuori
Brasil: Eduardo Martini; Moisés (Xaro), Cirilo, Leandro Camilo e Brock; Leandro Leite, Washington, Galiardo e Diogo Oliveira (Gustavo Papa); Marcos Paraná e Nathan (Ramon). Técnico: Rogério Zimmermann.
Gol: Hernani (29-1º)
Cartões amarelos: Pablo, Sidcley, Hernani (A). Leandro Leite, Cirilo, Brock (B).
Árbitro: Jose Claudio Rocha Filho – SP
Público: 9.394 pagantes (10.844 total)
Renda: R$ 114.010,00
Local: Arena da Baixada

Fonte: BemParaná

Related Posts

Facebook Comments