A jornada da Porsche GT3 Cup Challenge nesta sexta e sábado no Autódromo Internacional de Curitiba vai marcar a despedida dos carros de corrida mais vendidos do mundo da tradicional pista paranaense, que deve ser desativada até o fim do ano.

Presente no calendário do principal evento de Gran Turismo do País desde sua temporada inaugural em 2005, a pista curitibana é a segunda que mais recebeu corridas de Porsche na história do evento, atrás apenas de Interlagos. Foram nada menos que 61 provas, distribuídas em 21 etapas ao longo de 12 anos.

Nessa trajetória, o autódromo virou unanimidade entre os pilotos. É um dos palcos favoritos da categoria, que, na atual temporada, novamente tem sido marcada pelo equilíbrio entre os concorrentes. Na classe Cup, foram quarto vencedores diferentes em quarto corridas; na Challenge, os quatro primeiros na tabela de classificação estão separados por apenas 10 pontos.

O campeonato de Sprint chega à metade nesta etapa de despedida. E justamente por isso que a motivação para vencer na jornada final em Curitiba é maior ainda.

A começar pelo líder da classe Cup, Lico Kaesemodel. Nascido em Curitiba, foi neste autódromo que o competidor do Porsche #63 acelerou pela primeira vez um carro de competição, no ano 2000. Na etapa de abertura da atual temporada, ele cravou a pole, mas as vitórias ficaram com Daniel Schneider e Miguel Paludo.

Os pilotos dos carro #7 e #77 foram ao pódio somente uma vez na rodada dupla realizada no mês passado na Argentina, mas seguem no top5: o bicampeão é terceiro no campeonato, Schneider vem em quinto.

Vencedor de três das quatro corridas da classe Challenge em Curitiba em sua trajetória rumo ao título do ano passado e estreante na Cup em 2016, JP Mauro está em quarto com o #90. O grupo dos cinco primeiros é completado pelo bicampeão Ricardo Baptista. O dono do Porsche #27 venceu pela primeira vez no evento nesta pista, há dez anos, e vem motivado ocupando a vice-liderança do campeonato com uma performance muito consistente (na única vez que ficou fora do pódio, terminou em sexto).

Os grids das classes Cup e Challenge neste fim de semana terão alguns remanescentes da primeira vez que os Porsche aceleraram na capital do Paraná, em etapa extracampeonato de 2005: inclusive os dois primeiros vencedores daquela rodada dupla, Tom Valle e Otávio Mesquita.

Hoje competindo na divisão Master, Tom pilota o carro #99 da classe Cup. Ele foi um dos destaques da etapa que abriu a temporada em Curitiba, com segundo lugar geral na prova 2. Mas sua ausência na etapa da Argentina permitiu a Maurizio Billi, com o #34, e Guilherme Figueirôa dividirem a liderança na divisão para competidores com mais de 50 anos de idade. O competidor do Porsche #9, por sinal, é outro veterano da primeira corrida da categoria em 2005 (foi terceiro colocado na ocasião) e compete instruído pelo paranaense Julio Campos como coach.

Mesquita atualmente acelera o #56 da classe Challenge. Ele retorna ao evento nesta temporada após um ano sabático e ocupa o quarto lugar na tabela, dez pontos atrás do líder Cristiano Piquet (que tem 100% de aproveitamento nos pontos em 2016, com 40 pontos em 40 possíveis).

Entre os dois, estão o chileno Gonzalo Huerta (36) e o terceiro colocado no campeonato da Challenge Sport em 2015, Rodrigo Mello (32 pontos).

Motivado pela primeira vitória da carreira na Argentina, Daniel Paludo é o quinto com 24. Ele está empatado em pontos com o estreante Eloi Khouri, competidor do Porsche #21 e vencedor de todas as disputas da Challenge Sport no ano até aqui.

Já na Cup Sport, a divisão de entrada da classe Cup, o destaque até o momento é Marcio Basso com o Porsche #2. Ele venceu três das quatro corridas do ano na classe é tem 12 pontos de vantagem sobre Carlos Ambrósio.

As atividades oficiais da etapa começam nesta sexta-feira, com os qualis encerrando a programação do dia. No sábado estão previstas as três corridas a partir das 10h, com a prova da Challenge entre as duas da Cup.

O livetiming no site da Porsche GT3 Cup Challenge mostra todos os treinos, assim como o canal oficial do evento no YouTube. A Band exibe a etapa neste domingo (22) a partir das 13h. Já o Sportv 3 mostra as corridas no domingo seguinte (29), a partir das 19h.

 

 

DECLARAÇÕES DOS PILOTOS

 

Vou para a etapa com um sentimento de muita tristeza por saber que será a última vez que vou correr neste autódromo, que está prestes a acabar… Sou curitibano, foi aqui que dei meus primeiros passos no automobilismo, em 2000, quando andei pela primeira vez durante um teste com Fórmula Chevrolet. Depois me direcionei para carros de turismo e desde 2004 disputei dezenas de provas, então guardo muitas lembranças do autódromo. Meu desejo é me despedir da pista com a melhor lembrança possível, que seria uma vitória e a manutenção da liderança na Cup

LICO KAESEMODEL

 

Perder o autódromo de Curitiba é muito triste para o automobilismo brasileiro, um dos três autódromos FIA do país!!! Que as autoridades façam alguma coisa pois o automobilismo do Brasil com essas perdas (Curitiba e Rio) e com a má manutenção dos outros autódromos espalhados pelo país está num declínio sem fim….

Para mim é um autódromo muito marcante pelo traçado desafiador e também porque foi palco de minha primeira vitória na Porsche Cup.

Referente ao campeonato de Sprint, após 2 etapas de 6 e com 4 corridas disputadas e 4 vencedores diferentes vemos que será um campeonato muito disputado e com muitos pilotos com chances reais de título

RICARDO BAPTISTA

 

Curitiba é uma pista que tem um valor especial para mim. Não só por ser o traçado onde mais gosto de andar no Brasil, mas também pelo fato de ter vencido três corridas lá no ano passado, duas na minha estreia pela categoria Challenge e outra na penúltima etapa do ano quando fui coroado campeão da categoria. Também foi o palco da minha estreia na Cup, com um fim de semana extremamente positivo, terminando com quarto lugar, apesar de pouco tempo de treino. Não esperava chegar à terceira etapa em quarto do campeonato, menos ainda tendo disputado uma vitória na Argentina, então fico muito contente com a evolução até aqui. Mas não deixo de reconhecer o nível da concorrência, então o aprendizado segue aberto. Volto para Curitiba mais adaptado ao carro e com o acerto base mais adequado à minha pilotagem. Então espero aproveitar melhor os treinos e seguir evoluindo na categoria

JP MAURO

 

Liderar a Master é um prazer, principalmente sabendo que temos pilotos como Tom Valle, Billi etc, disputando o título da categoria. Espero continuar competitivo, inclusive estou reivindicando com a organização que libere os Masters de carregar peso extra. Acho que o peso da idade já é suficiente (risos)

Me entristece bastante saber que esta será nossa última corrida em Curitiba, primeiro por se tratar de uma das pistas mais rápidas e desafiadoras do Brasil, segundo pela cidade, que gosto muito , pelos restaurantes, hotéis, facilidade de acesso etc. Já perdemos o Rio e agora Curitiba, realmente uma pena…

Quanto ao coach, acho muito importante especialmente para quem começou mais tarde e por hobby como eu. Além de amigo e coach, o Julio Campos é parceiro em provas de que participo nos EUA

GUILHERME FIGUEIRÔA

 

Estou muito confiante pois ganhamos quase todas as corridas de que participei em Curitiba nos dois últimos anos. Nossa equipe encontrou o acerto ideal para o carro, então a meta será manter a liderança no campeonato e chegar à metade do calendário em primeiro lugar

CRISTIANO PIQUET

 

Falar do Autódromo de Curitiba é ao mesmo tempo emoção e tristeza. Emoção, porque consegui P1 e P2 na primeira etapa fora de São Paulo. Foi uma emoção única, chorei muito, era o começo da categoria e é muito legal a gente lembrar disso. A tristeza é que esta deve ser a última etapa, porque o autódromo deve fechar e é uma pista a menos no Brasil. Quero tentar novamente buscar a vitória nesta corrida. Comecei lá em P1 e P2 em 2005 e quero terminar da mesma maneira

OTÁVIO MESQUITA

 

Estou pensando no aprendizado em todas as vezes que entro no carro. O lado bom é que já andei na primeira prova em Curitiba e isso ajuda muito a conhecer o traçado! Espero ter uma boa performance como nas últimas corridas, poupar o carro até o final e poder evoluir me divertindo

ELOI KHOURI

 

Credito foto – Luca Bassani

Related Posts

Facebook Comments