Sob pressão

Sob pressão

Após a derrota para o time de aspirantes do Atlético no clássico de domingo (4), no Couto Pereira, o técnico Sandro Forner admite que o revés para o rival pressiona o Coritiba para o duelo contra o Parnahyba, quarta-feira (7), fora de casa, pela primeira fase da Copa do Brasil. O confronto é único e eliminatório: o Coxa joga pelo empate.

“O time grande está sempre pressionado. Você precisa do resultado, mas também precisa entender o contexto, como funcionam as coisas. No futebol não existe milagre, existe trabalho e tempo”, disse Forner, após o Atletiba.

“A pressão existe, é normal. Tem que entender que, se os resultados não acontecem, vai haver pressão. Mas, por outro lado, temos que ter convicção, sabemos o que estamos fazendo”, continuou.

O técnico confirmou o retorno do atacante Kléber para o jogo da Copa do Brasil. O Gladiador foi poupado do clássico com o Atlético.

“Estamos formando um time. Quem vai jogar em Parnahyba podem ser os mesmos [do clássico], pode haver uma ou outra troca”, despistou Forner, sobre os retornos de atletas como os volantes João Paulo e Wellington Simião que também vinham jogando e ficaram fora do Atletiba.

Apesar da derrota e do cenário de pressão, Forner acredita que o Coritiba fez o melhor jogo do ano contra o Furacão. “Coletivamente, foi nossa melhor partida”, avaliou o treinador, sobre o Atletiba, antes de traçar um panorama das dificuldades da Copa do Brasil, especialmente pela questão do regulamento da disputa.

“Essas primeiras fases da Copa do Brasil realmente complicaram muito para os times grandes. Pouco treino, viagens longas, adversários supermotivados. Tem uma série de fatores para atrapalhar”, ponderou.

Related Posts

Facebook Comments