Atlético mantém freguesia tricolor

O Atlético ainda não havia vencido dentro de casa no Brasileirão? Bastou enfrentar o São Paulo, o maior freguês do time paranaense dentro da Arena da Baixada. No confronto entre os dois, na noite desta quarta-feira (21), o time paranaense venceu por 1 a 0, gol de Wanderson. Quebrou o jejum em casa e manteve a escrita sobe o rival. A partida era válida pela 9ª rodada da competição.

Até então, o Atlético não havia vencido dentro de casa. Nos três jogos anteriores, houve um empate (contra o Flamengo) e derrotas para Grêmio e Santos, ambas por 2 a 0.

Na história dos confrontos entre Atlético e São Paulo dentro da Arena da Baixada (desde a inauguração do estádio, em 1999), o time paranaense passou a somar 12 vitórias em 16 jogos. E cedeu o empate em outros cinco. Os paulistas jamais venceram.

A vitória, porém, não foi fácil. O Atlético marcou um gol cedo e depois acabou pressionado, mesmo dentro de casa. Foi inferior em finalizações, posse de bola e eficiência nos passes.

ATUAÇÕES: Wanderson é o destaque do Atlético. Confira.

CLASSIFICAÇÃO

Ao vencer a partida, o Atlético somou a 3ª vitória e saiu da zona de rebaixamento. Saltou de 18º para 12º lugar, com 11 pontos. Passou à frente do São Paulo, que estacionou nos 10 pontos.

TABELA

O Atlético volta a campo neste domingo (25). Recebe o Vitória, na Arena da Baixada, pela 10ª rodada do Brasileirão. O lateral Jonathan e o atacante Pablo, que levaram o terceiro cartão amarelo, cumprem suspensão. Depois disso, o time enfrenta o Grêmio, em Porto Alegre, no dia 28, pelas quartas-de-final da Copa do Brasil.

ESCALAÇÃO

O meia argentino Lucho Gonzalez estava disponível, após cumprir suspensão na vitória sobre o Atlético -GO, no sábado (17). E foi escalado pelo técnico Eduardo Baptista, que deixou Deivid no banco. O Atlético entrou no 4-1-4-1 com Otávio mais recuado no meio-de-campo, Lucho e Matheus Rossetto mais ao centro e Douglas Coutinho e Nikão nas pontas. O São Paulo veio a campo num 3-4-3.

PRIMEIRO TEMPO

O Atlético começou de forma avassaladora. Abriu o placar aos 4 minutos, com Wanderson, e forçou o goleiro Renan Ribeiro a três defesas. Mas esse ímpeto durou apenas 11 minutos, e depois o time cedeu terreno. Sofreu vários cruzamentos por baixo e por cima (24 ao todo, incluindo escanteios), o que deu trabalho à defesa.

Fora daqueles 11 minutos, o Atlético teve apenas duas finalizações – e sua melhor chance de marcar o 2º gol, que não foi aproveitada, veio de um erro bizarro do goleiro Renan Ribeiro, que deixou passar uma bola recuada pela zaga. Para sorte do São Paulo, a bola foi na rede do lado de fora. O time paulista, por sua vez, somou sete finalizações, mas apenas uma certa. Quem evitou o gol foi Lucho Gonzalez.

SEGUNDO TEMPO

Para o segundo tempo, Baptista trocou Lucho Gonzalez e Matheus Rossetto por Carlos Alberto e Deivid, respectivamente. O time ficou num 4-2-3-1, já que Deivid ficou mais recuado, perto de Otávio. Carlos Alberto deu um chute a gol logo aos 28 segundos, que parou no goleiro. Mais fechado, o Atlético reforçava a aposta nos contra-ataques.

Só que isso teve um preço: o Atlético foi pressionado pelo São Paulo. À exceção de um arremate de Douglas Coutinho, o time mal passava do meio-de-campo. A defesa teve trabalho para travar chutes da entrada da área e evitar cruzamentos.

Aos 20 minutos, Baptista trocou Grafite por Pablo. Mesmo assim, o time não melhorou ofensivamente. O terceiro arremate na 2ª etapa saiu apelas aos 30 minutos, com o lateral Jonathan. Do outro lado, o São Paulo, que havia colocado os ofensivos Denilson, Wellington Nem e Brenner, tentava o gol através de arremates de média distância. Sem sucesso.

ESTATÍSTICAS

Ao fim de 90 minutos, o Atlético teve 11 finalizações (6 certas), 34% de posse de bola e 73% de eficiência nos passes. Já o São Paulo somou 24 finalizações (6 certas e 3 bloqueadas), 66% de posse de bola e 87% de eficiência nos passes. Os porcentuais são do site Whoscored.

 

ATLÉTICO 1 x 0 SÃO PAULO

ATLÉTICO

Weverton; Jonathan, Wanderson, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Rossetto (Deivid), Douglas Coutinho, Lucho Gonzalez (Carlos Alberto) e Nikão; Grafite (Pablo). Técnico: Eduardo Baptista

SÃO PAULO

Renan Ribeiro; Éder Militão (Wellington Nem), Lugano e Rodrigo Caio; Thiago Mendes, Jucilei, Cícero (Denílson) e Júnior Tavares; Marcinho, Lucas Pratto e Cueva (Brenner). Técnico: Rogério Ceni

Gols: Wanderson (4-1º)

Cartões amarelos: Lucas Pratto, Lugano, Jonathan, Sidcley, Welllington Nem, Pablo

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)

Público: 19.150 (pagante), 21.436 (total)

Renda: R$ 955.090

Local: Arena da Baixada, em Curitiba, quarta-feira

 

About the Author

Osires Nadal Júnior

Locução em autódromo, estádio, rádio, tv, palestra, cerimonial, formatura. Pauteiro, reporter, produtor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *